Verbasco (Verbascum thapsus L.) – Suaviza os brônquios e todos os tecidos

As virtudes peitorais do verbasco já eram conhecidas na Grécia clássica por Hipócrates e por Dioscórides. Desde então, tem vindo a ser utilizada com êxito na fitoterapia.

As folhas têm-se utilizado como mechas de candeia e como pensos para feridas. A sua aveludada suavidade já lhe mereceu o qualificativo de “papel higiénico” silvestre.


Propriedades e Indicações:

As flores, sobretudo, e em menor quantidade as folhas, contêm mucilagem, a que devem a sua acção emoliente (suavizam os tecidos); saponinas e flavonóides, de efeito anti-inflamatório, antitússico e antiespasmódico; e diversos glicósidos e pigmentos. É diurético e sudorífico suave. O seu uso está indicado nos seguintes casos:

-Irritações das mucosas respiratórias: faringite, laringite, catarros brônquicos e asma (pela sua acção antiespasmódica). Alivia a tosse e facilita a expectoração (1,2).

 Aplicado externamente, é útil nos furúnculos, queimaduras, frieiras e hemorróidas (3,4). Pode-se aplicar tanto em compressas embebidas numa decocção de folhas e flores, como em cataplasmas feitas com as folhas fervidas em leite.


Preparação e Emprego:

Uso Interno

1-Infusão: 20-30g de flores por litro de água. Tomam-se 3 ou 4 chávenas diárias, depois de ter sido cuidadosamente filtrada com um pano fino, com o fim de eliminar os pelinhos.

2-Extrato seco: A dose habitual é de 0,5 a 1 g, 3 vezes ao dia.

 

Uso Externo

3-Compressas empapadas numa decocção de 60-80 g de folhas e flores por litro de água . Aplicam-se sobre a pele afetada.

4-Cataplasmas: Faz-se com as folhas fervidas em leite, aplicadas sobre a zona afetada.


Outros nomes: barbasco, erva-de-são-fiacre, tróculos-brancos, vela-de-nossa-senhora. Brasil: círio-do-rei. Esp.: gordolobo común, gordolobo macho macho, verbasco, candelaria, candela regia, escobizo. Fr.: bouillon blanc, molène. Ing.: mullein, Aaron’s rod, hedge-taper.

Habitat: Espalhado pelos lugares incultos e terrenos pedregosos de toda a Europa. Em Portugal encontra-se de Trás-os-Montes e Minho até ao Alentejo, embora pouco frequente. Conhecido no continente americano.

Descrição: Planta bienal da família das Escrofulárias, de caule erecto, que pode atingir 1,5 m de altura. As folhas são grandes e cobertas de abundantes pêlos lanosos. As flores são de cor amarela e nascem em grossas espigas.

Partes utilizadas: as flores e as folhas.


Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.1, de Jorge D. Pamplona Roger

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close