oregãos

O nome deriva de duas palavras gregas: oros, que quer dizer montanha, e ganos, que quer dizer esplendor. De facto, na época da floração, que vai de Maio a Julho, esta planta embeleza e perfuma o seu habitat.

Segundo registos antigos, as inflorescências concentram as virtudes intrínsecas da planta. O seu aroma de condição bastante volátil e inebriante traduz-se no aumento de energia. Pode ajudar a aliviar dores, mesmo as mais renitentes, como por exemplo, dores de cabeça e lombares. Uma almofada cheia de inflorescências secas proporciona alívio rápido nas dores provocadas pelo torcicolo e afasta o sono durante algumas horas. Um ramo de orégãos floridos vai criando uma atmosfera agradavelmente aromatizada propícia ao entusiasmo e alegria.

Colheita: Colhem-se as inflorescências conforme vão atingindo a plenitude e colocam-se na vertical de modo a não se amachucarem. Por último corta-se o caule principal a uns 5 cm do solo.

Conservação: Coloca-se o cesto com as inflorescências num lugar fresco, limpo e arejado. Mantêm-se mais ou menos uma semana. As destinadas à secagem espalham-se num cesto, e coloca-se este num lugar adequado para que o processo de secagem se desenvolva nas melhores condições possíveis. Depois de secas, separam-se dos caules e guardam-se num frasco de vidro opaco. Mantêm-se naturalmente um ano.

Os tradicionais ramos de orégãos têm o inconveniente de formar humidade, principalmente, na parte que está mais apertada, o que provoca oxidação e mofo, como se pode comprovar pela cor escura e pelo cheiro.

Forma de utilização:

  • Inflorescências frescas em emulsão e nas saladas.
  • Inflorescências secas em infusão ou maceração.
  • Folhas e caules secos em fumigações ou defumações.
  • As inflorescências frescas adicionam-se às saladas. Quando secas preparam-se pelo processo de maceração para as tornar mais suaves. Com o produto obtido preparam-se deliciosos molhos.

Indicações: A emulsão proporciona uma melhor eficácia, destacando-se os seguintes efeitos: purificante, antidepressivo, estimulante, analgésico e estomáquico. Toma-se em jejum ou no intervalo das refeições. A infusão proporciona principalmente os efeitos depurativo, antiespasmódico, expetorante, anti-séptico e febrífugo. Pode tomar-se após o almoço, evita a astenia e a sonolência. Gargarejos com uma tisana bem aromatizada produzem uma agradável sensação de limpeza e frescura, desobstruindo as vias respiratórias, aliviando o catarro, as dores de garganta, os efeitos da nicotina e da poluição atmosférica, tornando o paladar mais apurado para apreciar e selecionar melhor os sabores naturais. As fumigações purificam o ambiente e influem beneficamente nas vias respiratórias. As defumações criam uma atmosfera inebriante, diminuindo a angústia e desanuviando o ambiente dos maus cheiros.

As tisanas utilizam-se também no tratamento externo. Compressas frias, bem aromatizadas, aliviam dores, espasmos, cansaço e produzem uma sensação de bem-estar geral. Compressas com uma temperatura amena são muito eficazes no estado febril. Ajudam a baixar a temperatura e ocasionam simultaneamente um aumento de vitalidade.

Em caso de gripe devem fazer-se as fumigações e defumações para aromatizar e purificar o ambiente.

Fonte: Guia Ecológico das Plantas Aromáticas e Medicinais de Zélia Sakai

Pin It on Pinterest