Osmunda regalis L.

O feto real distingue-se pelo seu aspecto majestoso, pela forma das folhas, pela cor verde-viva e peculiar sabor. Tem grandes exigências de qualidade de vida. Para se desenvolver bem e formar um rizoma forte e saudável necessita de água corrente e limpa, ar puro e outras excepcionais condições ecológicas.

Na serra de Monchique encontra-se esta planta em diversos cursos de água, nomeadamente no barranco da Malhada Quente. Ali o feto-real mantém-se reflorescente durante todo o ano, chegando a atingir 2 a 3 metros de altura. O rizoma, ao alcançar o seu total desenvolvimento, apresenta uma cor branca, tem um sabor um pouco amargo,  agradavelmente refrescante e concentra as virtudes intrísecas da planta.

Colheita: As folhas colhem-se antes dos reflexos do sol incidirem sobre elas. O rizoma arranca-se no mês de fevereiro quando a temperatura da água é mais baixa e a seiva se concentra na raiz da planta. Colhe-se no final da tarde e só quando está bom tempo, pois a água das chuvas pode provocar-lhe alterações  perniciosas.

Conservação: As folhas perdem rapidamente a vitalidade e a cor. O rizoma mantém o vigor mais ou menos 5 dias, em seguida começa a morrer. Quando seco conserva-se durante 2 a 3 anos.

Forma de utilização:

  • Folhas verdes em emulsão.
  • Rizoma em decocção, trituração ou maceração.

Indicações: A infusão proporciona  principalmente os efeitos purificante, estimulante e diurético. A decocção proporciona em especial os efeitos revigorante, anti-reumático, tónico e vulnerário. O produto obtido pelos processos de maceração ou trituração tem múltiplas utilidades. Usa-se para condimentar diversos alimentos e também para  tratamentos externos. A pasta aplicada em compressas alivia dores provocadas pelo reumatismo e ajuda a diminuir a celulite.

Os antigos usavam as folhas do feto-real, depois de secas para encher os cochões, devido à crença nas suas propriedades anti-reumatismais. No meu entender, as folhas secas podem proporcionar conforto, mas carecem de substâncias necessárias para exercer uma acção curativa.

Fonte: Guia Ecológico das Plantas Aromáticas e Medicinais de Zélia Sakai

Pin It on Pinterest