É um processo pela fervura em água, para a recolha das propriedades das partes mais resistentes de algumas plantas tais como caules, raízes, tubérculos e sementes frescas ou secas, que pela sua natureza concentram no seu cerne as intrínsecas virtudes da planta.

Deve ter-se em atenção a permeabilidade dc cada um destes ingredientes para evitar alterações perniciosas. Quando isso acontece, o resultado é a obtenção de um produto de inferior qualidade. Só se deve utilizar a decocção quando não há outra solução para se extrair os princípios activos de certas plantas. Todavia, a decocção é importante porque é também um meio de purificação da água. Actualmente é difícil encontrar-se água viva e pura. São muitas as vezes que tenho de recorrer à decocção para preparar urna emulsão quando não há absoluta garantia da boa qualidade da água. Nesse caso, fervo a água com gengibre ou com outra raiz de efeito purificador activo durante 5 minutos. Deixo esfriar a água e em seguida preparo a emulsão.


Modo de preparação:

Começa-se por adicionar os ingredientes à água fria e utilizando-se igualmente uma cafeteira de inox. Em seguida leva-se ao lume para que ferva. Ao levantar fervura, reduz-se a chama ao mínimo para evitar uma vaporização rápida e tumultuosa.

A ebulição suave permite manter melhor o nível da água e também o bom aproveitamento das substâncias essenciais das plantas, nomeadamente o óleo e os minerais, que são muito sensíveis ao contacto com o calor. A temperatura da água e o tempo de fervura são determinantes para o bom aproveitamento das substâncias essenciais das plantas a usar. A decocção pode demorar apenas alguns segundos ou ir até 5 minutos, consoante a consistência e o grau de solubilidade de cada um dos ingredientes utilizados. Decorrido o tempo exacto para a decocção, apaga-se o lume e deixa-se repousar de 5 a 7 minutos.

A decocção toma-se tépida ou fria, consoante os efeitos pretendidos e o clima. Guardá-la em recipientes térmicos1 pode ser uma solução, desde que a temperatura esteja abaixo dos 45°C, para evitar que o calor excessivo e contínuo altere os componentes das plantas. É absolutamente necessário observar minuciosamente o aspecto da tisana. Se apresentar sinais de turvação ou alterações de cor, no aroma ou no sabor resultantes do excesso de calor, tem de se inutilizar.

A decocção tem, regra geral, um período de validade de mais ou menos 5 horas.

As tisanas obtidas através da decocção, da infusão ou da emulsão são filtradas por um passador de vime ou de inox revestido com um pano, para impedir a passagem das minúsculas partículas que eventualmente se desprendam.

Depois de coadas, têm de apresentar limpidez. A ausência de transparência é sinal de que sofreram alterações nefastas à saúde. Pode tomar-se dois litros de tisanas por dia.

1- Os termos, no seu interior, têm de ser revestidos de vidro porque as fibras plastificadas são atacadas pelas substâncias das próprias plantas, provocando intoxicações.


Fonte: Guia Ecológico das Plantas Aromáticas e Medicinais de Zélia Sakai

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close