O nome popular cinco-em-rama faz alusão ao conjunto das 5 folhas, mas o número 5 apresenta-se também nas 5 pétalas que formam as belíssimas flores amarelas (corola pentâmera) e no cálice, que ostenta igualmente 5 pétalas.

Floresce no mês de maio, quinto mês após o solstício de inverno. As pequenas flores, pressagiam a chuva, abrindo e fechando as pétalas, de modo a minorar o impacto das gotas de água sobre elas. Ao atingirem a maturidade revestem-se de pólen, muito apreciado pelas abelhas.

No Oriente é considerada uma planta sagrada pelas suas numerosas virtudes e também devido ao número 5, símbolo da harmonia. Diz-se que Hipócrates lhe atribuiu propriedades medicinais muito vastas.

Colheita: Cortam-se as folhas conforme vão atingindo o seu total desenvolvimento. As flores só se devem colher ao atingir a sua plenitude.

Conservação: As folhas verdes mantém a vitalidade mais ou menos 5 horas. As flores conservam o vigor durante 5 a 7 dias, mas devem ser utilizadas logo após a colheita para um melhor aproveitamento das suas intrínsecas virtudes.

Forma de utilização:

  • Folhas verdes em infusão.
  • Flores em emulsão e na culinária.

Indicações: A emulsão proporciona uma melhor eficácia, destacando-se os seguintes efeitos: purificante, estimulante, vitamínico, antioxidante, galactagogo, emoliente e diurético. Toma-se em jejum. A infusão proporciona principalmente os efeitos adstringente, tónico, febrífugo e vulnerário. Pode tomar-se após do almoço.

As flores frescas adicionadas às saladas são um complemento alimentar importante.

As tisanas utilizam-se também para tratamento externo. A emulsão aplicada diretamente sobre a pele aumenta elasticidade e dá um tom bronzeado que protege das intempéries, evitando o envelhecimento. Os pachos quentes aliviam dores provocadas pelo cansaço e pelo reumatismo.

Para se obterem melhores resultados e mais duradouros, na época da floração tomam-se 5 taças de tisana diariamente durante 5 dias consecutivos, fazendo-se simultaneamente tratamento externo. Passado este período reduz-se para 3 vezes por semana, por um ou dois meses, conforme a época da floração. Ao fim de 5 dias sente-se um crescente de boa energia que se traduz numa maior capacidade de interiorização e criatividade, começando também a manifestar-se um belo tom bronzeado que protege das agressões ambientais.

Fonte: Guia Ecológico das Plantas Aromáticas e Medicinais de Zélia Sakai

Pin It on Pinterest