belgata
Belgata
Erva-príncipe
Cymbopogon citratos (DG.) stapp

Esta planta é conhecida por diversos nomes.  Em Portugal destacam-se os seguintes: belgata, erva-príncipe, chá-do-príncipe, chá-do-Gabão e citronela. Capim-do-mato e capim-cheirosos são os nomes mais comuns em diversas regiões e países. De facto, no estado espontâneo expressa preferência pelas montanhas que possuem diversidade de vegetação, formando pequenas moitas, principalmente nas clareiras onde recebe os reflexos suaves do sol. 

 Segundo uma lenda Oriental, um jovem príncipe perdeu-se durante uma caçada numa montanha de vegetação muito densa. De tão cansado, acabou por adormecer. Ao acordar sentiu-se revigorado e apercebeu-se de que a brisa matinal estava impregnada de uma fragrância que avivou a sua memória. Ao identificar a planta que emanava esse aroma, decidiu colhê-la e levá-la para o seu castelo, onde passou a cultivá-la com esmero. Desde então passou a chamar-se erva-príncipe.

 A erva-príncipe mereceu a minha especial atenção desde os meus tempos de criança devido à lenda e também aos agradáveis aroma e sabor, que muitas vezes suavizaram o amargor de certas plantas.

 Ao adquirir a Casa da Paz, comecei a cultivar erva-príncipe em diversas áreas da propriedade, principalmente junto de árvores de folha caduca para que desfrute da sombra no Verão e do sol durante o Outono e o Inverno. Adaptou-se bem, mantendo as suas características originais, como se pode comprovar pelo seu particular aroma.  

Colheita: colhem-se as folhas da parte exterior que já atingiram total desenvolvimento antes de começarem alterar a posição da vertical para horizontal, sinal de perda da vitalidade. Constatei que o corte destas folhas ajuda o bom desenvolvimento da planta, não havendo dúvida que o núcleo se torna mais fértil. O momento mais indicado para a colheita é ao nascer do sol, quando a planta emana com maior veemência o seu aroma. Assim tratada, mantém-se verde durante todo o ano, reflorescendo por tempo indefinido. 

Conservação: as folhas verdes colocam-se na horizontal dentro de um cesto, de modo a não quebrarem. Resguardadas da luz e do calor, mantém a vitalidade e a cor de três a cinco dias.

Forma de utilização:

-Folhas verdes recém-colhidas em emulsão.

-Folhas verdes em infusão.

Indicações: A emulsão proporciona uma melhor eficácia, destacando-se os seguintes efeitos: purificante, vitamínico, carminativo, antioxidante, béquico, refrescante, cardiotónico e galactagogo. Toma-se preferencialmente em jejum. A infusão proporciona principalmente os efeitos depurativo, sedativo, antiespasmódico, sudorífico e diurético. Pode tomar-se a seguir as refeições. Uma pequena taça desta tisana bem aromatizada ajuda o processo digestivo e evita  a flatulência. A erva-príncipe pode utilizar-se como corretivo do excesso do sabor amargo ou ácido. Combina bem com uma grande diversidade de plantas.

Fonte: Guia Ecológico das Plantas Aromáticas e Medicinais de Zélia Sakai

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close