avenca
Cabelo-de-vénus
Adiantum capillus veneris L.
Adiantum pedatum L.

A avenca pertence ao género Adiantum. O nome científico capillus parece que se deve à tenuidade das folhas, formadas de modo a que a água deslize sobre elas rapidamente.

A espécie designada por Adiantum pedatum L. é a mais apreciada devido ao sabor um pouco doce e refrescante.

A avenca está associada à deusa Vénus. É-lhe atribuída a virtude de preservar a beleza e proporcionar uma maior longevidade. No séc. XVII alcançou grande prestígio na Europa, nomeadamente em França, popularizando-se como um remédio muito eficaz na prevenção de doenças pulmonares e defluxos provenientes principalmente da inflamação das mucosas nasais.

Colheita: Colhem-se apenas as folhas do princípio dos ramos. Estes só se cortam quando começam a inclinar-se e antes de tocarem na água.

Conservação: As folhas verdes perdem rapidamente a vitalidade e a cor. Têm de se utilizar imediatamente após a colheita.

Forma de utilização: Folhas verdes e viçosas em emulsão.

Indicações: A tisana proporciona os seguintes efeitos: purificante, vitamínico, estimulante, diurético e refrescante. Toma-se em jejum e no intervalo das refeições. Uma taça desta tisana em jejum ajuda a melhorar a visão e a memória, a acalmar a tosse, a curar bronquites e outros males das vias respiratórias. No caso de bronquite ou dificuldades das funções respiratórias, prepara-se a tisana com flores de artemísia, folhas de tomilho e junta-se-lhes a substância gelatinosa dos aloés, para se obterem melhores resultados.

A tisana usa-se também no tratamento externo. Aplicada diretamente ou em compressas produz uma ação vitalizante, podendo aliviar o cansaço, e deixa uma agradável sensação de frescura. No caso dos olhos cansados, a aplicação de compressas de manhã e à noite reanima-os e ajuda a melhorar a visão. Com a continuidade confere-lhes um notável brilho.

Fonte: Guia Ecológico das Plantas Aromáticas e Medicinais de Zélia Sakai

Pin It on Pinterest