Tramazeira

Tramazeira (Sorbus aucuparia L.) – Adstringente e rica em vitamina C

A tramazeira , que é uma sorveira brava, não forma arvoredo, mas encontra-se isoladamente entre outras árvores de montanha. Faz-Se notar Pelos seus vistosos frutos que são uma delícia para os pássaros. Em algumas cidades é plantada para ornamentação. É uma árvore elegante e longeva. Vive mais de 100 anos.

Propriedades e Indicações:

Os frutos (sorvas) contém diversos ácidos orgânicos (sórbico, cítrico e succínico), açúcares, pectina, tanino e grandes quantidades de vitamina C (até 80 mg por 100 g).

Nos países germânicos atribuem-se-lhe numerosas propriedades, embora as que realmente se comprovaram sejam apenas as seguintes:

Adstringente: Devido ao seu conteúdo em tanino, dá bons resultados no tratamento das diarreias e colites, tanto agudas como crónicas (1).  Esta acção adstringente é parcialmente compensada pelo conteúdo em pectina dos seus frutos, que exerce um suave efeito laxante. O resultado desta acção combinada é um efeito regulador e normalizador do trânsito intestinal.

Antiescorbútico e tonificante: Pelo seu conteúdo em vitamina C e ácidos orgânicos, respectivamente. Recomenda-se o seu uso em caso de carência de vitamina C, doenças febris, gripes, catarros, esgotamento, e em pacientes convalescentes ou debilitados (1).

Diurético suave e emenagogo: Facilita a menstruação (1).

Preparação e Emprego

Uso interno

1-As sorvas são comestíveis apenas quando estão bem maduras, no Outono, o que se reconhece porque se tomam mais escuras e moles. Se forem comidas antes de amadurecerem completamente, deixam um forte sabor áspero na boca e tomam-se irritantes. Um punhado de sorvas por dia já exerce ação terapêutica.

Podem-se deixar secar, ou então pode-se preparar com elas um puré ou uma compota, depois de cozidas. A dose normal de sorvas é de 3 a 5 colheradas, 3 vezes ao dia.

Outros nomes: sorveira, sorveira-dos-passarinhos, cornogodinho, escancerejo. Brasil: sorveira-brava. Esp.: serbal silvestre, serbal de cazadores, fresno silvestre, manzano falso, acafresna, amargoso, margojo, azarolo borde, capudio, cérvellon, sevillano, sorbito. Fr.: sorbier [des oiseleurs]. Ing.: rowan [tree], mountain ash.

Habitat: Disperso em regiões montanhosas de clima temperado de toda a Europa. Em Portugal encontra-se em Trás-os-Montes e nas Beiras interiores.

Descrição: Árvore ou arbusto da família das Rosáceas, que atinge até 6m de altura. A casca é lisa e cinzenta, e as flores pequenas e brancas. Os frutos são umas bagas alaranjadas ou vermelhas, que pendem em cachos.

Partes utilizadas: os frutos (sorvas) cozidos ou secos.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

 

Pin It on Pinterest