sistema respiratório

O sistema respiratório é responsável pela condução do ar contendo oxigénio(O2) até os pulmões e pela eliminação de dióxido de carbono (CO2) resultante das oxidações celulares. A sua estrutura é formada pelos pulmões e por um sistema de tubos condutores que compreende as fossas nasais, a laringe, a traqueia, os brônquios e os bronquíolos.

 O processo respiratório pode ser dividido em quatro fases:

 1ª – Troca gasosa com o meio externo, que ocorre nos pulmões, através de minúsculas aberturas chamadas alvéolos.

 2ª — Transporte dos gases respiratórios (O2) desde os pulmões até os tecidos, e vice-versa, por meio do sangue.

 3ª – Troca gasosa entre o sangue e as células, que é feita nas paredes dos capilares (porção final dos vasos sanguíneos) que se comunicam com o tecido intersticial (líquido entre as células).

 4ª – Respiração celular, que consiste nos processos oxidativos intracelulares, consumindo O2 recebido pelo sangue e produzindo CO2, que é depositado na corrente sanguínea.

 A respiração é um ato às vezes voluntário e às vezes involuntário. Os movimentos involuntários são automáticos e estão sob o comando do sistema nervoso central, por intermédio do bulbo, no qual o pensamento não participa. A parte voluntária dos músculos respiratórios possibilita o controle consciente dos movimentos. Desse modo, podemos intervir a qualquer momento, colocando a respiração sob o controle da vontade. Assim, torna-se possível interromper a respiração por alguns instantes, bem como variar o ritmo respiratório, possibilitando-nos falar, comer, cantar, etc.

 O ritmo respiratório reflete o nosso estado emocional. Quando estamos ansiosos, a respiração é rápida e curta. Durante um período de medo, aumentamos o intervalo respiratório. Se estivermos apavorados, respiraremos em descompasso.

 Além de refletir a condição interior, o ritmo respiratório também influencia na alteração desse estado, bastando para isso controlar a respiração e alterar seu compasso. Um bom exemplo disso é quando alguém está muito agitado ou nervoso, e lhe dizemos: “Calma, respira fundo”. De fato, a calma advém da alteração do ritmo respiratório.

 Assim, portanto, quando você perceber que está ansioso, respire lenta e profundamente. Isso será de grande proveito para amenizar sua ansiedade.

 Segundo a doutrina hindu, a respiração é portadora de importante força vital, a qual chamam de “prana”. Conforme o hinduísmo, o “prana” é agregado às moléculas de oxigénio. Ao absorver o ar, somos abastecidos por essa energia que promove a vitalidade orgânica.

 As técnicas respiratórias são importantes para adquirir e manter a saúde e serenidade interior.

 Várias filosofias orientais utilizam esses métodos e obtêm excelentes resultados.

A prática de exercícios respiratórios promove saúde e bem-estar. A respiração é um veículo de comunicação entre o mundo interno e o meio externo. Como seres humanos, trazemos em nosso ego a tendência de mergulhar no isolamento, sendo a respiração um elo de contato com o mundo externo, que impede de nos isolarmos. Ela representa uma constante sugestão de integração harmoniosa com o ambiente. A respiração é composta de duas etapas: inspiração e expiração.

 A inspiração é a absorção do oxigénio contido no ar, que é levado aos corpúsculos vermelhos contidos no sangue. É o ato em que os elementos externos penetram no mundo interno. Inspirar refere-se à sua capacidade de absorver a vida.

 A expiração promove a eliminação do dióxido de carbono produzido pela oxidação das células. Expirar é expelir conteúdos provenientes do interior do organismo, que são lançados no ambiente externo. Esse ato relaciona-se à sua capacidade de se expor e deixar fluir seus conteúdos interiores. É a livre expressão de si.

 O processo respiratório expressa a capacidade de absorver e se expor, ao âmbito da troca, do dar e receber. Se a pessoa lidar bem com isso na sua vida, o seu sistema respiratório será saudável. Porém, se tiver uma relação problemática entre ela e o mundo, isso irá refletir nesse sistema, provocando alguma doença. De acordo com a doença respiratória, pode-se compreender melhor as complicações internas nessa área da vida.

 Em geral, qualquer problema respiratório está relacionado com a dificuldade em lidar com o ambiente. Demonstra que a pessoa não está suficientemente aberta para os acontecimentos à sua volta, tampouco sente-se livre para se expressar. Resistir ao que se passa no ambiente, bem como não ser espontâneo diante da situação, é altamente nocivo para o mecanismo respiratório.

 Para amenizar os problemas respiratórios é necessário que você se abra para a vida e aprenda a absorver o que está acontecendo à sua volta. Somente assim é possível se colocar na situação com a consistência interior digna de quem elaborou o que se passa e por isso pode opinar com segurança. Essa atitude, além de ser saudável para as vias respiratórias, promove o bem-estar interior e a harmonia do ambiente.

Retirado de Metafísica da Saúde , Vol.1 – Sistemas Respiratório e Digestivo , Valcapelli & Gasparetto (Adaptado)

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close