Urucu (Bixa orelana L.) – Remédio contra as queimaduras e expectorante

Das sementes desta árvore extrai-se um apreciado corante alimentar vermelho-alaranjado, utilizado no México desde antes da colonização espanhola. O fruto do urucu usa-se como condimento, e a casca fornece uma fibra têxtil.

Os Maias e os Astecas, que tinham notáveis conhecimentos de fitoterapia, já empregavam o urucu contra a lepra. Sabemos hoje que esta planta apresenta semelhanças botânicas e químicas com a chamugra (Hydnocarpus kurzii [King] Warb. : Taraktogenos kurzii King) , árvore asiática de que se extrai um óleo que actualmente se emprega no tratamento da lepra.

Propriedades e Indicações:

As folhas, pelo seu conteúdo em tanino, são adstringentes e cicatrizantes. Com a sua infusão fazem-se gargarejos que melhoram as aftas da boca, faringites e amigdalites (2).

Em aplicação externa (lavagens e compressas), a infusão de folhas de urucu apresenta um interessante efeito cicatrizante, emoliente (suavizante) e anti-inflamatório. Recomenda-se o seu emprego nos casos de infecções cutâneas, erupções, queimaduras leves e celulite (3).

As sementes contêm bixina (corante) e uma resina. A sua infusão usa-se como expectorante em caso de bronquite ou asma (1). O pó que se obtém delas, dissolvido em óleo, tem propriedades emolientes e, em aplicação externa, é um excelente remédio contra as queimaduras leves (4).

Preparação e emprego

Uso interno

1-lnfusão com uma colherada de sementes por chávena de água. Tomar 2-3 chávenas por dia.

Uso externo

2-Gargarejos com uma infusão feita com 40-50 g de folhas por litro de água.

3-Lavagens e compressas, com esta mesma infusão, sobre a zona da pele afectada.

4-Cataplasmas com o pó das sementes.

O pó de sementes obtém-se deixando as sementes em maceração durante quatro horas, espremendo-as depois, e deixando-as em repouso ao sol até que a água se evapore.

Misturar uma colherada de pó em 100 ml de azeite de oliveira, e aplicar sobre a zona queimada.

Outros nomes: urucum, urucueiro, bixa. Esp.: achiote, bija, bicha, analto, pumacua, urucú, onoto, atolé, cacicuto. Fr.: roucouyer. Ing.: annatto [tree].

Habitat: México, Antilhas e regiões quentes da América do Sul. Cultivado pelo corante de tom vermelho-alaranjado que se obtém das suas sementes.

Descrição: Árvore da família das Bixáceas, que atinge 5 m de altura. As suas flores são grandes, de cor vermelha. O fruto é uma cápsula ovóide, de uns 4 cm, coberta de picos moles e com várias sementes no seu interior.

Partes utilizadas: As sementes e as folhas.


Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close