Serpão (Thymus serpyllum L.)  – Acalma a tosse e as dores

À semelhança de outras plantas da família das Labiadas, como o orégão, o tomilho, a hortelã-pimenta, o poejo, o serpão exala um aroma agradável.

Não é fácil diferenciá-lo do tomilho (Thymus vulgaris L.), sobretudo porque existem várias subespécies intermédias. No entanto, estas três características do serpão não costumam estar ausentes:

-O lábio superior do cálice das suas flores acha-se dividido em três dentes profundos;

-As folhas, que são planas e verdes por ambas as faces (o tomilho tem os bordos das folhas voltados para baixo, e estas são esbranquiçadas na página inferior).

-O aroma lembra o do limão ou o da erva-cidreira.

Propriedades e Indicações:

As folhas e as flores contêm uma essência de composição variável segundo as subespécies, mas que sempre possui cimol, timol e carvacrol. Também contém pequenas quantidades de ácidos fenólicos, flavonóides e taninos. As propriedades do serpão são-lhe conferidas pela sua essência: digestiva, antiespasmódica, expectorante e antiséptica.

As suas aplicações são semelhantes às de outras plantas da família das Labiadas, com as seguintes particularidades:

Afecções respiratórias: O serpão dá muito bons resultados como calmante da tosse, especialmente da tosse seca convulsiva das crianças (1,2).  Também se usa na tosse convulsa e em todo o tipo de catarros bronquiais.

Afecções digestivas: O serpão utiliza-se contra a atonia do estômago, as digestões pesadas, as flatulências e as dispepsias em geral. (1,2)

Afecções bucais e anais: Pela sua acção anti-séptica, o serpão é muito indicado para fazer lavagens e bochechos em feridas ou inflamações das mucosas do aparelho digestivo, quer seja na boca (aftas ou chagas) quer no ânus (fissura anal) (4). Em gargarejos, é muito benéfico no caso de amigdalite (anginas) ou de faringite.

Reumatismos e nevralgias: Aplicada localmente, a essência de serpão acalma as dores da ciática, das nevralgias faciais e das dores reumáticas em geral (5).

Depressão, astenia e esgotamento: Dão muito bons resultados os banhos quentes com serpão; são tonificantes e revitalizantes (3). Convêm tanto às crianças débeis como aos adultos necessitados de um estímulo natural.

Preparação e emprego

Uso interno

1-Infusão com 20-40 g por litro de água, de que se tomam de 3 a 5 chávenas cada dia. Pode-se adoçar com mel. Como antitússico, administra-se uma ou duas colheradas de hora em hora, até que a tosse se acalme.

2-Essência: Administram-se 3-5 gotas, 3 vezes ao dia.

Uso externo

3-Banhos: Acrescenta-se à água de uma banheira média 2-3 litros de uma decocção feita com 50-100 g, que se tenha deixado ferver durante 5 minutos.

4-Lavagens, bochechos e gargarejos: Fazem-se com a mesma infusão que para uso interno, mas mais concentrada.

5-Compressas e fricções com a essência.

Outros nomes: serpil, serpilho, serpol, erva-ursa, tomilho. Esp.: serpol, serpillo, tomillo silvestre, tomillo salsero, tomillo sanjuanero. Fr.: thym [bâtard] [thym] serpolet. Ing.: [wild] thyme, mother of thyme.

Habitat: Terrenos secos, áridos ou pedregosos em terras baixas ou encostas montanhosas de toda a Europa, até 2500 m de altitude. Naturalizado na América do Norte.

Descrição: Planta vivaz da família das Labiadas, que atinge até 40 cm de altura. Os caules são rasteiros, as folhas pequenas e planas, e as flores são cor-de-rosa ou púrpura, agrupadas em inflorescências terminais.

Partes utilizadas: as sumidades floridas.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.1, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

 

Pode também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest