Rabanete e Rábano (Raphanus sativus L.) – Regenera o fígado. Combate eficazmente a sinusite.

Os rabanetes são muito apreciados nos países mediterrâneos como condimento para as saladas. Nalguns lugares, não se come só a raiz mas também as folhas, que têm um agradável sabor picante.

O rábano (Raphanus sativus L. var. Nigra) é urna variedade do rabanete comum, caracterizada pela cor escura da raiz, muito empregada em fitoterapia.

Propriedades e Indicações:

Contém um glicósido sulfurado (gluco-rafenina) que, por hidrólise enzimática, se transforma em rafanol, substância a que se devem as suas propriedades colagogas, coleréticas, antibióticas e peitorais. Contém também sais minerais e vitaminas B e C. Sãos estas as suas aplicações:

Afecções hepatobiliares: Aumenta a produção de bílis pelo fígado (efeito colagogo), o que o descongestiona e desintoxica. Ao mesmo tempo, melhora o funcionamento da vesícula biliar, ao favorecer a correcta evacuação da bílis para o duodeno. O rabanete é pois muito indicado nos casos de hepatite aguda e crónica, doença gorda do fígado, cirrose, intoxicação hepática por fármacos, produtos químicos ou cogumelos, assim como das dispepsias biliares (vesícula preguiçosa). Pode contribuir para regenerar o fígado na hepatite alcoólica e no caso de degenerescência gorda produzida pelo álcool ou por outros tóxicos (1,2).

Afecções respiratórias: É mucolítico (amolece a mucosidade), expectorante e antibiótico. Muito indicado em catarros brônquicos, bronquites e laringites, e de modo especial nas sinusites(1,2). Trata-se de um valioso remédio auxiliar nas curas de desintoxicação do tabaco.

Aperitivo e diurético (1,2).

Preparação e emprego

Uso interno

1-Cru em saladas, é um condimento saudável e curativo.

2-Sumo fresco do tubérculo, à razão de 50 a 125 ml, três vezes por dia, antes das refeições e adoçado com mel ou açúcar escuro.

Outros nomes: rábão. Brasil: rabanete-das-hortas, nabo-chinês. Esp.: rábano, rabaneta, rabanete, nabo chino criollo, nabón. Fr.: radis. Ing.: radish.

Habitat: Originário da Asia Central, actualmente cultivado em todas as regiões temperadas do mundo.

Descrição: Planta herbácea, da família das Crucíferas, de folhas muito ramificadas e flores brancas com riscas cor-de-rosa ou violeta. A raiz é um bolbo de cor branca, vermelha ou parda escura.

Partes utilizadas: a raiz fresca.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.1, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

 

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close