Rabanete e Rábano (Raphanus sativus L.) – Regenera o fígado. Combate eficazmente a sinusite.

Os rabanetes são muito apreciados nos países mediterrâneos como condimento para as saladas. Nalguns lugares, não se come só a raiz mas também as folhas, que têm um agradável sabor picante.

O rábano (Raphanus sativus L. var. Nigra) é urna variedade do rabanete comum, caracterizada pela cor escura da raiz, muito empregada em fitoterapia.

Propriedades e Indicações:

Contém um glicósido sulfurado (gluco-rafenina) que, por hidrólise enzimática, se transforma em rafanol, substância a que se devem as suas propriedades colagogas, coleréticas, antibióticas e peitorais. Contém também sais minerais e vitaminas B e C. Sãos estas as suas aplicações:

Afecções hepatobiliares: Aumenta a produção de bílis pelo fígado (efeito colagogo), o que o descongestiona e desintoxica. Ao mesmo tempo, melhora o funcionamento da vesícula biliar, ao favorecer a correcta evacuação da bílis para o duodeno. O rabanete é pois muito indicado nos casos de hepatite aguda e crónica, doença gorda do fígado, cirrose, intoxicação hepática por fármacos, produtos químicos ou cogumelos, assim como das dispepsias biliares (vesícula preguiçosa). Pode contribuir para regenerar o fígado na hepatite alcoólica e no caso de degenerescência gorda produzida pelo álcool ou por outros tóxicos (1,2).

Afecções respiratórias: É mucolítico (amolece a mucosidade), expectorante e antibiótico. Muito indicado em catarros brônquicos, bronquites e laringites, e de modo especial nas sinusites(1,2). Trata-se de um valioso remédio auxiliar nas curas de desintoxicação do tabaco.

Aperitivo e diurético (1,2).

Preparação e emprego

Uso interno

1-Cru em saladas, é um condimento saudável e curativo.

2-Sumo fresco do tubérculo, à razão de 50 a 125 ml, três vezes por dia, antes das refeições e adoçado com mel ou açúcar escuro.

Outros nomes: rábão. Brasil: rabanete-das-hortas, nabo-chinês. Esp.: rábano, rabaneta, rabanete, nabo chino criollo, nabón. Fr.: radis. Ing.: radish.

Habitat: Originário da Asia Central, actualmente cultivado em todas as regiões temperadas do mundo.

Descrição: Planta herbácea, da família das Crucíferas, de folhas muito ramificadas e flores brancas com riscas cor-de-rosa ou violeta. A raiz é um bolbo de cor branca, vermelha ou parda escura.

Partes utilizadas: a raiz fresca.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.1, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

 

Pode também gostar de:

    None Found

Holler Box

Pin It on Pinterest