Pilosela (Hieracium pilosella L.) – Adstringente, diurética e antibiótica

O uso da pilosela, apesar de remontar à Idade Média, não se encontra muito divulgado, talvez devido a que, uma vez seca, a planta perde as suas virtudes medicinais.

Propriedades e Indicações:

Contém uma grande quantidade de tanino, que a torna fortemente adstringente; flavonóides; um óleo essencial, de propriedades diuréticas e depurativas; mucilagens, de acção anti-inflamatória; e uma substância cumarínica derivada da umbeliferona; de acção antibiótica. Tem as seguintes indicações:

Diarreias e disenterias: Detém as defecações sanguinolentas (1).

Edemas: nefrose (albuminúria), insuficiência renal: Além de aumentar o volume de urina, favorece a eliminação da ureia e desinflama os rins (1).

Hemorragias: A sua forte acção adstringente faz que, aplicada localmente, detenha as hemorragias nasais (2). Tomado internamente, em infusão, também se usa contra as menstruações excessivas (1).

Brucelose: Os seus princípios antibióticos actuam selectivamente contra a Brucella mellitensis, bactéria causadora da brucelose ou febre de Malta (1).

Comprovou-se que o gado que pasta nos prados onde abunda a pilosela não sofre de brucelose. Reduz a febre e faz cessar a sudação característica desta doença. Deve ser tomada durante vários meses.

Preparação e emprego

Uso interno

1-Infusão com 50-60 g de planta fresca por litro de água, de que se tomam de 3 a 5 chávenas diárias adoçadas com mel.

Uso externo

2-Tampões nasais: Fazem-se com uma gaze ou algodão embebido na infusão descrita para uso interno, mas mais concentrada (100-150 g por litro).

Outros nomes : Pilosela-das-farmácias, pilosela-das-boticas, orelha-de-lebre. Brasil: orelha-de-rato, morugem. Esp.: vellosilla, pelosilla, pilosela, hierba de la salud, cerrillejo, oreja de ratón. Fr.: piloselle, éperviêre, oreille de souris. Ing.: mouse ear [hawkweed], pilosella.

Habitat; Prados e clareiras de bosques de toda a Europa, excepto da costa mediterrânica. Difundida pela costa atlântica da América do Norte.

Descrição: Planta vivaz da família das Compostas, com uma roseta de folhas pubescentes na sua base, de cujo centro sai um caule desprovido de folhas, de 10 a 20 cm de altura, terminando num capítulo floral amarelo.

Partes utilizadas: a planta inteira, fresca.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest