Pilosela (Hieracium pilosella L.) – Adstringente, diurética e antibiótica

O uso da pilosela, apesar de remontar à Idade Média, não se encontra muito divulgado, talvez devido a que, uma vez seca, a planta perde as suas virtudes medicinais.

Propriedades e Indicações:

Contém uma grande quantidade de tanino, que a torna fortemente adstringente; flavonóides; um óleo essencial, de propriedades diuréticas e depurativas; mucilagens, de acção anti-inflamatória; e uma substância cumarínica derivada da umbeliferona; de acção antibiótica. Tem as seguintes indicações:

Diarreias e disenterias: Detém as defecações sanguinolentas (1).

Edemas: nefrose (albuminúria), insuficiência renal: Além de aumentar o volume de urina, favorece a eliminação da ureia e desinflama os rins (1).

Hemorragias: A sua forte acção adstringente faz que, aplicada localmente, detenha as hemorragias nasais (2). Tomado internamente, em infusão, também se usa contra as menstruações excessivas (1).

Brucelose: Os seus princípios antibióticos actuam selectivamente contra a Brucella mellitensis, bactéria causadora da brucelose ou febre de Malta (1).

Comprovou-se que o gado que pasta nos prados onde abunda a pilosela não sofre de brucelose. Reduz a febre e faz cessar a sudação característica desta doença. Deve ser tomada durante vários meses.

Preparação e emprego

Uso interno

1-Infusão com 50-60 g de planta fresca por litro de água, de que se tomam de 3 a 5 chávenas diárias adoçadas com mel.

Uso externo

2-Tampões nasais: Fazem-se com uma gaze ou algodão embebido na infusão descrita para uso interno, mas mais concentrada (100-150 g por litro).

Outros nomes : Pilosela-das-farmácias, pilosela-das-boticas, orelha-de-lebre. Brasil: orelha-de-rato, morugem. Esp.: vellosilla, pelosilla, pilosela, hierba de la salud, cerrillejo, oreja de ratón. Fr.: piloselle, éperviêre, oreille de souris. Ing.: mouse ear [hawkweed], pilosella.

Habitat; Prados e clareiras de bosques de toda a Europa, excepto da costa mediterrânica. Difundida pela costa atlântica da América do Norte.

Descrição: Planta vivaz da família das Compostas, com uma roseta de folhas pubescentes na sua base, de cujo centro sai um caule desprovido de folhas, de 10 a 20 cm de altura, terminando num capítulo floral amarelo.

Partes utilizadas: a planta inteira, fresca.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close