Mandioca (Manhiot esculenta Crantz.) – Digestiva e emoliente

A mandioca é uma planta alimentícia muito apreciada nos países quentes. No entanto a sua raiz, se for comida crua, produz uma intoxicação grave que pode mesmo causar a morte. Isto deve-se ao facto de conter glicósidos cianogenéticos, que libertam o venenoso ácido cianídrico.

Felizmente, estas substâncias tóxicas desaparecem facilmente com o calor.

Propriedades e Indicações:

 A raiz contém até 40% de hidratos de carbono (sobretudo amido), mas é muito pobre em proteínas e em lípidos (gorduras). Daí que o seu valor nutritivo seja limitado, e por isso a mandioca não deve constituir a base do regime alimentar.

É digestiva, emoliente (suavizante e anti-inflamatória) e algo adstringente.

A tapioca é preparada à base de mandioca em forma de farinha. É de muito fácil digestão e recomenda-se em caso de gastrite, úlcera gastroduodenal, dispepsia (má digestão) e hipercloridria (excesso de acidez) (1).

Contém também nas gastrenterites, diarreias e colites. É um alimento ideal para doentes debilitados com escassa capacidade digestiva.

Externamente, a tapioca aplica-se em cataplasmas quentes com sumo de limão, para amadurecer furúnculos, borbulhas infectadas e abcessos (2).

Também serve para curar as lesões da erisipela (infecção da pele produzida pelo estreptococo).

Preparação e emprego

Uso interno

1-Farinha: Obtém-se triturando o tubérculo passado pelo calor. Com ela se preparam diversos pratos culinários.

Uso externo

2-Cataplasmas: Preparam-se acrescentando sumo de limão à farinha. Têm de ser aplicadas quentes.

Sinonímia científica: Manihot utilissima Pohl.

Outros nomes: manduba, manuba, maniva. Esp.: yuca, pan de yuca, mandioca, mandiaco, manioca, manoco, mancobra, tapioca, sagú branco, casa, casava, guacamote, cascamote, pan de tierra caliente, aypí. Fr.: manioc, cassava, pain des negres, sagou blanc. Ing.: [bitter ] cassava, mandioca, manioc, tapioca plant, yucca.

Habitat: Originária do Brasil. Difundida por todas as regiões tropicais e subtropicais da América, Ásia e África. Adapta-se muito bem aos terrenos pobres e secos.

Descrição: Arbusto da família das Euforbiáceas, com caules lenhosos, erectos e nodosos, que atinge ate dois metros de altura. A raiz é tuberosa, branca, de até um metro de comprimento e 20 cm de diâmetro.

Partes utilizadas: o tubérculo (raiz) tostado ou cozinhado.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pode também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest