macela
Macela (Anthemis nobilis L.) – Digestiva e antiespasmódica

Também se chama camomila-romana a esta planta, porque se cultivava em Roma, nos séculos XVI e XVII. Não consta, no entanto, que fosse conhecida pelos antigos Gregos ou Romanos.

Apesar de as suas propriedades serem muito semelhantes às da verdadeira camomila, esta planta conservou  a sua personalidade própria e o seu lugar na fitoterapia.

Propriedades e Indicações:

A essência da macela, ou camomila-romana, contém camazuleno, de ação anti-inflamatória, diversos ésteres e um princípio amargo de ação digestiva e carminativa (ajuda a expulsar os gases instestinais). Contém além disso cumarinas e flavonóides de ação antiespasmódica. Possui também propriedades emenagogas (estimula e normaliza a menstruação) e anti-reumáticas.

Aplica-se em uso interno:

Afecções digestivas (principal aplicação): indigestões, dispepsia (digestão difícil), flatulências, náuseas (1,2,3).

Cólicas intestinais, biliares ou renais: como antiespasmódica (1,2,3).

Dores menstruais (1,2,3).

Externamente, usa-se para:

Reumatismo: em fricções (6).

Cicatrização das feridas, mediante a aplicação de compressas sobre a pele (4).

Lavagens oculares: como colírio (5).

 

Preparação e Emprego

Uso Interno

1-Infusão: 5-10 g de capítulos por litro de água. Tomam-se até 6 chávenas por dia.

2-Pó: A dose oscila entre os 2 e 10 g diários. Ingere-se diluindo-o em água, acompanhado com um pouco de mel.

3-Essência: Administram-se 2-4 gotas, 3 vezes ao dia.

Uso externo

4-Compressas embebidas em uma decocção de 20-30 g de capítulos por litro de água, que se aplicam sobre a pele.

5-Lavagens oculares com a mesma decocção.

6-Fricções: Aplicam-se sobre a pele com a essência dissolvida em álcool.

Outros nomes: macela-dourada, macela-flor, macela-galega, macela-de-botão, macelão, marcela, camomila-de-paris, camomila-romana, falsa-camomila. Esp.: manzanilla romana, camomila romana, matricária. Fr.: camomille romaine. Ing.: Roman camomile, English camomile.

Habitat: Campos cultivados, prados e alqueives de terreno silicioso da Europa Ocidental. Conhecida no continente americano.

Descrição: Planta vivaz da família das Compostas, de 10 a 30 cm de altura e vilosa ao tacto. É mais baixa e ramificada que a camomila. As suas folhas são muito finamente segmentadas. Os capítulos florais são muito parecidos com os da camomila, mas têm um aroma mais intenso.

Partes utilizadas: os capítulos florais.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.1, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé