Laminária

Laminária (Laminaria saccharina Lam.) – Tira a fome e tonifica

As algas, que são um ingrediente fundamental da cozinha japonesa, vão sendo cada vez mais utilizadas nos países ocidentais.

Existem várias espécies de laminárias, todas elas com propriedades semelhantes (por exemplo, Laminaria digitata Lam. e Laminaria hyperborea Foslie). Com uma mistura delas, prensadas e secas, prepara-se o kombu que entra na composição de muitas receitas culinárias orientais.

Propriedades e Indicações:

Contém alginatos (gelatina vegetal que se obtém das algas), glícidos (hidratos de carbono), minerais (especialmente iodo, cálcio e sódio), e vitaminas A e B.

Os alginatos possuem a capacidade de aumentar até seis vezes o seu volume quando absorvem água. Por isso, no estômago, produzem uma sensação de saciedade, que se torna muito útil para acalmar o apetite nos tratamentos contra a obesidade. Também se usam em ginecologia para dilatar o colo do útero, colocando no seu interior um fragmento de alga devidamente esterilizado.

As laminárias, como outras algas, são tonificantes e estimulantes do metabolismo, pelo seu conteúdo em iodo. Por isso se recomendam aos obesos e àqueles que sofrem de hipotiroidismo (1,2,3).

Os alginatos também se usam na indústria farmacêutica e alimentar comoexcipientes e espessantes.

Preparação e Emprego

Uso interno

1-Como acompanhamento de saladas e diversos pratos cozinhados.

2-Decocção com 30 g de algas em 200 ml (um copo) de água, que se põe a ferver durante uns 5 minutos, e se toma antes de cada refeição. Pode-se ingerir só o líquido, só as algas, ou ambas as coisas ao mesmo tempo.

3- Existem diversos preparados farmacêuticos à base de algas, cujo emprego e dosagem vêm indicados nos respectivos folhetos informativos.

Outros nomes: Esp.: laminaria, correa. Fr.: laminiére. Ing.: kelp.

Habitat: Cria-se nas rochas submarinas da costa atlântica da Europa e da América do Norte.

Descrição: Alga castanha da família das Laminariáceas, que podem atingir até 2-3 m de comprimento. Adere às rochas por meio de uma espécie de raízes, chamadas rizóides. O seu talo está dividido em fragmentos semelhantes a fitas (frondes), que variam de forma e tamanho segundo as diferentes espécies.

Partes utilizadas: o talo (corpo da alga).

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pode também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest