Girassol (Helianthus annuus L.) – Combate o excesso de colesterol

Quando esta belíssima planta chegou à Europa, proveniente da América Central nos princípios do século XVI, foi durante muito tempo utilizada unicamente como planta ornamental nos jardins e parques, pelo curioso facto de seguir o movimento do astro-rei.

Só no século XIX a ciência começou a descobrir as suas excelentes propriedades nutritivas e medicinais. No entanto, os povoadores do México pré-columbiano já usavam as sementes de girassol torradas como alimento.

Propriedades e Indicações:

As flores do girassol contêm um glicósido flavonóide (quercimetrina), além de histidina e outras substâncias  em menor quantidade. No México usam-se as Flores e os caules tenros como balsâmicos e expectorantes (1), para catarros bronquiais e afecções respiratórias.

Das sementes de girassol extrai-se um óleo de grande valor nutritivo, rico em ácidos gordos insaturados (especialmente o linoleico), assim como vitaminas E, A e B (2). O uso do óleo de girassol é particularmente indicado na arteriosclerose para fazer descer o nível de colesterol no sangue, assim como na diabetes, nas doenças do fígado e em certas afecções da pele (eczemas e furunculoses).

Preparação e Emprego

Uso Interno

1-Infusão: 100gr de flores e caules tenros por litro de água. Tomar 3-4 chávenas por dia.

2-Óleo das sementes, como complemento dietético.

Outros nomes: helianto. Esp.: girasol, flor de sol, mirasol. Fr.: tournesol. Ing.: [common] sunflower.

Habitat: Oriundo das regiões subtropicais da América, mas distribuído  e cultivado por todo o mundo.

Descrição: Planta anual, da família das compostas que pode chegar a ter 2m de altura. O seu grande disco floral é na realidade um capítulo formado por numerosas pequenas flores.

Partes utilizadas: as flores, os caules tenros e as sementes.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.1, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pode também gostar de:

    None Found

Holler Box

Pin It on Pinterest