Fumária (Fumaria officinalis L.) – Descongestiona o fígado e desintoxica

Não se sabe se a fumária se chama assim porque, quando é torcida ou esmagada, faz chorar como se fosse fumo, ou então porque as suas folhas cinzentas se assemelham ao fumo de um incêndio, cujas labaredas seriam as flores.

Tem sido usada com êxito desde o tempo de Dioscórides (século I d.C.).

Propriedades e Indicações:

Toda a planta contém flavonóides que a tornam colerética e antiespasmódica; sais de potássio, a que se deve a sua acção diurética e depurativa; e diversos alcalóides derivados da isoquinoleína (fumarina) que lhe conferem uma acção anti-histamínica (a histamina intervém nas reacções alérgicas) e anti-inflamatória.

Além disso, a fumária contém princípios amargos e mucilagens. Tem as seguintes indicações:

Eczemas e erupções da pele devidos a auto-intoxicação por putrefacção intestinal, insuficiência renal, afecções hepáticas (hepatite crónica), ou alergias (1,2,3).

Afecções hepáticas: congestão e mau funcionamento do fígado ou hepatite crónica, pelo seu efeito colerético (estimulante da secreção de bílis) (1,2,3).

Hipertensão arterial, pelos seus efeitos diurético, antiespasmódico, depurativo e fluidificante do sangue (1,2,3).

Preparação e emprego

Uso interno

1- Infusão de 50 g de planta por litro de água. Toma-se uma chávena antes de cada uma das três refeições.

2-Sumo da planta fresca adoçado com mel, à razão de meio copo antes de cada refeição.

3-Extracto seco: Ingere-se um grama antes de cada refeição.

Outros nomes : erva-molarinha, erva-pombinha, fumo-da-terra, moleirinha. Brasil: fel-da-terra. Esp.: fumaria, plumaria, palomilla, flor de pajarito, hierba de la tierra, hierba de conejos, capa de reina. Fr.: fumeterre [officinale]. Ing.: [hedge] fumitory, earth smoke.

Habitat: Nas proximidades de campos cultivados, nas beiras dos caminhos e em terrenos baldios. Originária da Europa, mas difundida em todo o mundo.

Descrição: Planta anual, da família das Fumariáceas, que atinge de 20 a 70 cm de altura. As suas folhas são de um cinzento esverdeado, e as flores rosadas ou vermelhas. O aroma é ácido, e o sabor, amargo.

Partes utilizadas: Toda a planta excepto a raiz.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.1, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé