cinoglossa

Cinoglossa (Cynoglossum officinale L.) – Cura as gretas da pele

Esta planta foi utilizada desde o século XVI, na preparação de umas célebres pílulas narcóticas descritas pelo célebre cirurgião francês Ambroise Paré (1510-1590), as quais, além de cinoglossa, continham ópio, meimendro-negro, açafrão, incenso e mirra. Hoje, no entanto, a cinoglossa já quase não se usa e, praticamente, só se emprega por via externa.

Propriedades e Indicações:

A raiz da planta contém alcalóides (cinoglossina), um glicósido tóxico (consolidina), um princípio amargo (cinoglossidina), mucina, alantoína e abundante tanino. As folhas são particularmente ricas em alantoína e tanino.

A alantoína é uma substância emoliente e cicatrizante, que entra na composição de várias pomadas e preparados farmacêuticos.

A cinoglossa tem propriedades adstringentes e sedativas. Em aplicação externa é emoliente (acalma a pele e as mucosas inflamadas) e cicatrizante, graças ao seu conteúdo em alantoína.

Utilizava-se em infusão como antidiarreica e como peitoral (1), mas a sua principal aplicação é externa, como cicatrizante nos casos de gretas cutâneas, queimaduras, úlceras persistentes e feridas de difícil cicatrização (2,3).

Os manilúvios com a decocção de cinoglossa suavizam e hidratam a pele das mãos. São de grande utilidade no caso de estas ficarem demasiado secas por acção do frio ou pelo contacto com produtos químicos (4).

Preparação e emprego

Uso interno

1-Decocção com uma colherada de raiz triturada, por chávena de água. Toma-se uma chávena durante todo o dia.

Uso externo

2-Cataplasmas com folhas esmagadas, que se aplicam sobre a pele afectada durante meia hora.

3-Compressas: Aplicam-se com o sumo fresco da planta ou com a decocção da sua raiz.

4- Manilúvios (banhos de mãos): Com uma decocção de cinoglossa, que se prepara com 50 g de folhas e de raiz por litro de água, postas a ferver durante 5 minutos.

Outros nomes: língua-de-cão. Esp.: cinoglosa, lengua de perro, lengua canina, hierba conejera. Fr.: cynoglosse [officinale] langue-de-chien. Ing.: hound’s-tongue.

Habitat: Difundida por toda a Europa e naturalizada nas regiões temperadas do continente americano, embora pouco frequente. Prefere as beiras dos caminhos, os escombros e os terrenos incultos.

Descrição: Planta vivaz da família das Boragináceas, que atinge de 30 a 80 cm de altura. As folhas são de uma cor verde acinzentada, compridas, brandas e cobertas de pêlo. As flores são vermelhas, quase cor-de-vinho. Exala um cheiro desagradável.

Partes utilizadas: a raiz seca e as folhas frescas.


Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé