Cardo-penteador

Cardo-penteador (Dipsacus sativus (L.) Scholler.) – Depura o sangue e limpa a pele

Durante muitos séculos, a humanidade serviu-se dos espinhos deste cardo para cardar a lã. É daí que vem o seu nome. Embora actualmente esta tarefa se execute por meios mecânicos, o cardo-penteador continua a oferecer-nos os seus bons serviços como planta medicinal.

Propriedades e Indicações:

Toda a planta, e especialmente a raiz, contém um glicósido chamado escabiósido, ácido salicílico e sais de potássio. Isto explica as suas propriedades medicinais: diurética (aumenta a produção de urina) e sudorífica (aumenta a sudação).

A raiz do cardo-penteador é um bom depurativo do sangue. Os seus efeitos são moderados mas persistentes, e pode tomar-se em qualquer quantidade, pois é muito bem tolerado pelo organismo. Torna-se especialmente útil nos seguintes casos:

Excesso de líquidos nos tecidos: edemas ou hidropisia de qualquer causa (1).

-Excesso de ácido úrico (artritismo): Favorece a eliminação do ácido úrico e de outras substâncias residuais que circulam pelo sangue (1).

Acne, eczemas e erupções: Aumenta a produção de suor, e com ele a eliminação de substâncias que irritam a pele. (1)

Preparação e Emprego

Uso interno

1-Decocção com 40-50 g de raiz triturada em dois litros de água. Ferver até que o líquido fique reduzido a metade. Filtrar e adoçar com mel. Bebem-se várias chávenas por dia. O tratamento deve durar meses.

Sinonímia científica: Dipsacus fullonum L. Outros nomes: cardo-cardador. Esp.: cardencha, carda, dipsaco, cardo de cardar, escobilla. Fr.: cardège sauvage. Ing.: [wild] teasel.

Habitat: Encontra-se vulgarmente nos solos frescos e argilosos da Europa Central e Meridional. Cresce também em grande parte do continente americano.

Descrição: Planta da família das Dipsacáceas, que atinge até dois metros de altura. O caule tem numerosos espinhos. Os capítulos florais, formados pela união de muitas flores pequeninas, são de cor lilás ou rosa; terminam em grandes aguilhões de 6 a 10 cm de comprimento.

Partes utilizadas: a raiz.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest