cardo-corredor

Cardo-corredor (Eryngium campestre L.) – Um eficaz diurético e aperitivo

O cardo-corredor é uma umbelífera disfarçada de cardo. Chama-se “corredor” porque, no Outono, o vento arranca os seus caules secos, cheios de folhas, e arrasta-os para colonizar novos terrenos. O tronco e a raiz, no entanto, ficam fortemente fixos na terra, e junto deles cresce um apetitoso cogumelo (Pleurotus eryngii [Fr.-D.C.] QuéI.). As propriedades medicinais desta planta já foram assinaladas pelo grego Dioscórides no século I d.C. Como aconteceu com outras plantas, atribuíram-se-lhe empiricamente mais propriedades medicinais do que aquelas que realmente tem. Hoje, conhecida a sua composição química, podemos determinar as suas verdadeiras indicações.

Propriedades e Indicações:

 A sua raiz contém saponinas, além de tanino, açúcares e um óleo essencial. As saponinas diminuem a tensão superficial dos líquidos, e formam borbulhas como o sabão (do latim saponem, sabão). Estas substâncias conferem ao cardo-corredor um importante efeito diurético. Por isso, o seu uso é apropriado:

-Em caso de edemas (retenção de líquidos), especialmente os que se produzem nas pernas e tornozelos (1,2).

-Em caso de excesso de ácido úrico (artritismo) e de areias na urina, casos em que interessa “limpar” os rins (1,2).

 Assinale-se que o efeito diurético das saponinas do cardo-corredor é bastante intenso, mas não constante, pois vai diminuindo dia a dia, até desaparecer quase completamente ao cabo de uma semana. Daí não ser recomendável tomá-lo durante mais de dois ou três dias consecutivos. Depois de alguns dias de descanso, volta a ser eficaz.

A raiz do cardo-corredor (1) também tem propriedades aperitivas, e faz parte das chamadas “cinco raízes aperitivas”, juntamente com as de granza (pá9. 589), alcaparra, grama-francesa e gatunha.

Preparação e emprego

Uso interno

1-Salada: Os seus brotos e folhas tenras são muito apreciados por aqueles que gostam de verduras silvestres.

2-lnfusão com um punhado de raiz triturada (30-40 g) por litro de água. Deixar repousar até que esteja bem fria, e tomar duas ou três chávenas diárias. Não guardar a infusão de um dia para outro, pois perde as suas propriedades.

Outros nomes: Brasil: gravatá-do-campo, croatá-falso, caraguatá. Esp.: cardo corredor, eringio, cardo setero. Fr.: chardon roulant. Ing.: watling street thistle, field eryngo.

Habitat: Frequente em prados secos, encostas expostas ao sol e pousios de toda a Europa. Também se pode encontrar no continente americano.

Descrição: Planta da família das Umbelíferas, que atinge de 40 a 60 cm de altura. Os seus caules são delgados, e as folhas são espinhosas. Os capítulos florais são formados por muitas flores pequeninas de um tom branco esverdeado. Toda a planta tem um cheiro parecido com o da cenoura, salvo a raiz, que é um pouco amarga.

Partes utilizadas: a raiz (colhe-se na Primavera ou no Outono), os brotos tenros e as folhas (colhem-se no Verão).

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close