cardo-corredor

Cardo-corredor (Eryngium campestre L.) – Um eficaz diurético e aperitivo

O cardo-corredor é uma umbelífera disfarçada de cardo. Chama-se “corredor” porque, no Outono, o vento arranca os seus caules secos, cheios de folhas, e arrasta-os para colonizar novos terrenos. O tronco e a raiz, no entanto, ficam fortemente fixos na terra, e junto deles cresce um apetitoso cogumelo (Pleurotus eryngii [Fr.-D.C.] QuéI.). As propriedades medicinais desta planta já foram assinaladas pelo grego Dioscórides no século I d.C. Como aconteceu com outras plantas, atribuíram-se-lhe empiricamente mais propriedades medicinais do que aquelas que realmente tem. Hoje, conhecida a sua composição química, podemos determinar as suas verdadeiras indicações.

Propriedades e Indicações:

 A sua raiz contém saponinas, além de tanino, açúcares e um óleo essencial. As saponinas diminuem a tensão superficial dos líquidos, e formam borbulhas como o sabão (do latim saponem, sabão). Estas substâncias conferem ao cardo-corredor um importante efeito diurético. Por isso, o seu uso é apropriado:

-Em caso de edemas (retenção de líquidos), especialmente os que se produzem nas pernas e tornozelos (1,2).

-Em caso de excesso de ácido úrico (artritismo) e de areias na urina, casos em que interessa “limpar” os rins (1,2).

 Assinale-se que o efeito diurético das saponinas do cardo-corredor é bastante intenso, mas não constante, pois vai diminuindo dia a dia, até desaparecer quase completamente ao cabo de uma semana. Daí não ser recomendável tomá-lo durante mais de dois ou três dias consecutivos. Depois de alguns dias de descanso, volta a ser eficaz.

A raiz do cardo-corredor (1) também tem propriedades aperitivas, e faz parte das chamadas “cinco raízes aperitivas”, juntamente com as de granza (pá9. 589), alcaparra, grama-francesa e gatunha.

Preparação e emprego

Uso interno

1-Salada: Os seus brotos e folhas tenras são muito apreciados por aqueles que gostam de verduras silvestres.

2-lnfusão com um punhado de raiz triturada (30-40 g) por litro de água. Deixar repousar até que esteja bem fria, e tomar duas ou três chávenas diárias. Não guardar a infusão de um dia para outro, pois perde as suas propriedades.

Outros nomes: Brasil: gravatá-do-campo, croatá-falso, caraguatá. Esp.: cardo corredor, eringio, cardo setero. Fr.: chardon roulant. Ing.: watling street thistle, field eryngo.

Habitat: Frequente em prados secos, encostas expostas ao sol e pousios de toda a Europa. Também se pode encontrar no continente americano.

Descrição: Planta da família das Umbelíferas, que atinge de 40 a 60 cm de altura. Os seus caules são delgados, e as folhas são espinhosas. Os capítulos florais são formados por muitas flores pequeninas de um tom branco esverdeado. Toda a planta tem um cheiro parecido com o da cenoura, salvo a raiz, que é um pouco amarga.

Partes utilizadas: a raiz (colhe-se na Primavera ou no Outono), os brotos tenros e as folhas (colhem-se no Verão).

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest