Cacto-grandifloro (Cereus grandiflorus Miller) – Um grande amigo do coração

As belas flores deste cacto da América Central têm uma vida muito curta: numa mesma noite nascem, exalam o seu aroma e murcham. Mas as suas interessantes propriedades medicinais persistem, e tornam-na uma planta muito apreciada.


Propriedades e Indicações:

As flores contêm glicósidos cardíacos, flavonóides e captina, um alcalóide muito activo sobre o coração. Têm propriedades cardiotónicas, antiarrítmicas (regularizam o pulso) e vasodilatadoras das artérias coronárias (1). Podem complementar ou até substituir a dedaleira. São indicadas no caso de insuficiência cardíaca, valvulopatias (alteração nas válvulas do coração), transtornos do ritmo (palpitações) e angina de peito (fazem desaparecer a sensação de opressão no peito).

A polpa dos frutos contém mucilagens de acção laxativa (2), suave, e, as sementes, um óleo purgante (3).


Preparação e Emprego

1- Flores: O mais seguro é tomá-las em forma de preparados farmacêuticos elaborados com elas.

2-Polpa dos frutos: Podem ingerir-se de 2 a 10 por dia.

3-Óleo das sementes: De meia a uma colherada é suficiente para se obter o efeito purgante.


Sinonímia científica: Cactus grandiflorus L.

Outros nomes: círio-do-méxico, flor-cheirosa, flor-da-noite, flor-de-baile, flor-de-seda, tocha-espinhosa. Brasil: cacto, rainha-da-noite. Esp.: cactus, reina de la noche. Fr.: cactine. Ing.: cactus.

Habitat: Originário das Antilhas e espalhado por toda a América Central. Não se dá na Europa.

Descrição: Planta trepadora da família das Cactáceas, que se caracteriza pelos seus caules carnosos cobertos de espinhos, e raízes aéreas com que se agarra às rochas e às árvores. As flores são muito grandes (até 30 cm), esbranquiçadas e muito aromáticas. Os frutos são umas bagas ovóides de cerca de 8 cm de comprimento cada uma.

Partes utilizadas: as flores e os frutos.


Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.1, de Jorge D. Pamplona Roger