Abacateiro (Persa americana Miller) – Alimenta, e embeleza a pele e o cabelo

A “Árvore-testículo ” dos índios mexicanos, que é o que significa “aguacate” (abacate) na língua indígena, foi utilizada desde tempos muito antigos pelos Astecas e os Maias como substituto da carne.

A sabedoria popular destes povos levou-os a descobrir as excelentes propriedades nutritivas e calóricas deste fruto que, à luz dos conhecimentos científicos actuais, suplanta a carne pelas suas qualidades dietéticas. Com efeito, o abacate proporciona de 160 a 200 calorias por 100 g, quantidade próxima das 230 calorias fornecidas por um bife de vitela de 100 g, mas com a vantagem, entre outras, de não conter nenhum colesterol. As gorduras do abacate, muito digestivas, são quimicamente semelhantes às do azeite de oliveira. O seu conteúdo em proteínas, embora menor que o da carne, tem a vantagem de não produzir resíduos, como o ácido úrico, que acidificam e sobrecarregam o metabolismo.

A árvore do abacate oferece outras possibilidades de aplicação medicinal, além das do seu fruto.


Propriedades e Indicações:

A polpa do fruto do abacateiro contém de 15% a 25% de lípidos (gordura), constituídos pelos ácidos oleico (moninsaturado), linoleico (polinsaturado) e palmítico (saturado), além de glícidos, proteínas, sais minerais e vitaminas.

Destaca-se especialmente o seu elevado conteúdo em ferro orgânico (facilmente assimilável) e em vitamina B6. Tem propriedades antianémicas, hipolipemiantes (faz descer o nível de colesterol no sangue, possivelmente devido à sua elevada proporção de ácidos mono e polinsaturados) e digestivas. O seu consumo é indicado em casos de anemia, esgotamento, aumento do colesterol, hipertensão, gastrite e úlcera gastroduodenal.

O óleo de abacate (3), cuja forma de extração expomos de seguida, é um excelente remédio, cujas aplicações mais importantes são:

* Afeções da pele: eczemas, irritações químicas ou mecânicas, pele seca ou gretada, etc. Aplicado diariamente sobre a pele do ventre, evita as estrias das grávidas. Hidrata e embeleza a cútis, pelo que faz parte de numerosos preparados de beleza e cosméticos;

* Elimina a caspa, detém a progressão da calvície, fortalece e suaviza o cabelo.

* Alivia as dores reumáticas, articulares e musculares. Aplica-se em fricções.

As folhas da árvore do abacate são ricas em substâncias tânicas. No México e nos países da América Central, utilizam-se em infusão como digestivas e carminativas (antiflatulentas) (1). Também se empregam contra as dores de cabeça, aplicando-se quentes sobre a testa, embora desconheçamos se este costume tem fundamento científico.

As grandes sementes do abacate aplicam-se trituradas e cozidas, em cataplasmas, para fazer amadurecer abcessos, furúnculos e panarícios (4). A água deste mesmo cozimento também se usa contra a disenteria e os parasitas intestinais (2).


Sinonímia científica: Persea gratissima Gaertn.

Outros nomes: abacate, aguacate. Esp.: aguacate, aguacatero, palto, avocado, cura pagua, pahua. Fr.: avocatier. lng.: avocado tree, alligator pear.

Habitat: Originário da América Central, a sua cultura tem-se estendido a outras regiões tropicais e subtropicais do planeta. Em Espanha, cultiva-se nos vales subtropicais do Sul da Península, nas províncias de Granada e Málaga, e nas Canárias. Também existe, aclimatado, em Portugal e na ilha da Madeira.

Descrição: Árvore da família das Lauráceas, que mede de 4 a 8 m de altura. As suas folhas são grandes e de contorno liso. O fruto, de cor verde e com forma de pêra, contém uma polpa de cor verde ou amarela, e uma semente esférica ou ovóide e bastante grande em relação ao fruto.

Partes utilizadas: os frutos (polpa e semente) e as folhas.


Preparação e emprego

Uso Interno

1- Infusão: Prepara-se com 4 ou 5 folhas grandes por litro de água. Podem-se tomar várias chávenas diariamente.

2- Decocção: 8-10 sementes esmagadas. Ferver até que se forme uma pasta ligeira. Filtra-se e toma-se meia chávena do líquido 3 vezes por dia.


Uso externo

3- Óleo de abacate: Extrai-se da seguinte maneira: Deixam-se amadurecer os frutos até ficarem aparentemente apodrecidos. Fervem-se numa panela com água, e o óleo que vem à superfície recolhe-se com uma colher. Posteriormente filtra-se com um pano para eliminar as impurezas.

Este óleo aplica-se em fricção sobre a pele da zona afectada, ou sobre o couro cabeludo.

4- Cataplasmas com a pasta obtida da decocção de sementes que se prepara para uso interno.


Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2,  de Jorge D. Pamplona Roger

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close