cancro

O que é o cancro?

Conforme escrito por Lise Bourbeau no seu livro O teu corpo diz “ama-te” o cancro: representa simultaneamente uma alteração da própria célula e um desvio considerável do mecanismo de reprodução de todo um grupo celular.

Por outras palavras, o cancro é uma irregularidade tanto do funcionamento e desempenho do papel da célula, como da sua reprodução. Christopher Vasey no seu livro Compreender as doenças Graves afirma:

“A particularidade de uma célula cancerosa é a de dar lugar a duas células geradoras, que, por sua vez, originam, também, duas outras células geradoras e assim sucessivamente. Portanto, o número de células do tecido canceroso não permanece estável; cresce rapidamente.”

O cancro tem cura?

Não podemos afirmar que alguma coisa tem cura. O nosso organismo, um universo inteligente, tem mecanismos naturais e infalíveis para repor o equilíbrio.

Mas, devido à intoxicação do terreno, às carências de elementos essenciais às células, como por exemplo o magnésio, e à postura que o homem moderno tem em relação à vida, o corpo, na sua tentativa de sobrevivência, esgota os seus recursos, sendo que na maioria dos casos se vê impossibilitado de recuperar.

O cancro só se desenvolve se tiver condições para isso, assim como tudo na natureza. Uma planta não sobrevive sem água, luz e nutrientes e um aglomerado de células anormais também não vinga se lhe tirarem as condições propícias para o seu crescimento.

E que condições são essas?

Um sistema imunitário debilitado, um organismo intoxicado, carências de nutrientes essenciais e uma postura de negação em relação à vida; todos estes aspectos contribuem para o desenvolvimento de doenças e o cancro não é exceção.

E como resolver este problema?

Na maioria dos casos tratar apenas o corpo não é suficiente; tem que haver uma reciclagem da mente.

Existem formas de fortalecer o corpo, para que em conjunto com a reciclagem de conceitos, o organismo possua todas as condições necessárias para o reequilíbrio e bem-estar.

O Aloés é considerada uma planta milagrosa, por todos os benefícios que traz ao organismo. Não cura nada, mas em muitos casos dá ao nosso corpo as condições para que ele desempenhe o seu papel.

Desde que comecei a estudar o Aloés, sempre fui “encaminhada” para a poção do Padre Romano.

Esta poção é responsável por diversas “curas” de cancros e basta folhear qualquer livro sobre o Aloés para vermos mencionada a sua eficácia.

Antes de vos transcrever a receita para este remédio natural, deixo-vos um pouco da sua história de quem a criou.

O Padre Romano Zago, de descendência italiana, nasceu no Brasil em 1932. A sua intenção com a criação desta poção era que toda a gente pudesse beneficiar de saúde através da utilização de algo que nos dá tudo para o nosso bem-estar: a natureza. Ao longo da sua vida, foi espalhando a sua mensagem e dando a sua poção a todos os que queriam usufruir dela. Chegou mesmo a escrever um livro sobre esta fantástica poção.

Como fazer o remédio do padre romano?

Ingredientes:

-500gr de mel de abelha;

-40 a 50 ml de bebida destilada não fermentada (aguardente, cognac ou whisky)

-Duas ou três ou quatro folhas de aloes arborescens, de forma a que dispostas em fila indiana perfaçam 01 metro.

Preparação:

Corte os espinhos laterais das folhas e remova a poeira ou sujidade das folhas com um pano húmido ou uma esponja.

Coloque as folhas cortadas em cubos pequenos, o mel e o álcool no liquidificador. Bata bem, até obter uma espécie de creme esverdeado.

Nota: Deverá colher as folhas de aloes de manhã cedo. Se for alérgico à seiva amarelada do aloés*, utilize apenas o gel interior. Se não puder consumir álcool, há quem sugira o uso do sumo de limão e no caso dos diabéticos, sugira uma fruta da época para substituir o mel.

E como tomar?

Em todas as pesquisas que fiz, não encontrei unanimidade relativamente à posologia, pois cada organismo é diferente. Sugiro que contacte um naturopata ou até que consulte o livro do Padre Romano “O Cancro tem Cura”.

Será que este remédio vai resolver o problema?

Tal como indiquei acima, a reciclagem de conceitos, na maior parte dos casos, é que nos permite a mudança e o restabelecimento total da saúde. No entanto, penso que nada se perde em experimentar, principalmente porque este remédio fortalece o sistema imunitário e no fundo ajuda à saúde de todo o organismo.

*Para ver se é alérgico à seiva amarelada do aloés, colha uma folha desta planta e recolha um pouco da seiva de tom amarelado que escorre do interior. Aplique numa pequena área das costas da mão. Se obtiver uma reação alérgica, significa que é alérgico.

Ângela Barnabé

Referências:

Lecardonnel M. O Novo Guia do Aloés, Receitas Práticas para a sua saúde. P.P.S., 2000

Bourbeau L. O teu corpo diz “ama-te”, A metafísica das doenças e do mal-estar.  Cascais: Pergaminho, 2002.

Vasey C. Compreender as doenças Graves Editorial Estampa Lda.


A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte as Terapias Online ou “A Saúde Integral tem a Solução”.

Pode também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest