Existem centos de plantas medicinais que ajudam um pouco a aliviar essas dorzitas de estômago. Aqui vão umas quantas que eu recomendo.

Camomila (Matricaria recutita )

A Comissão E. Alemã, o grupo de cientistas alemães que faz recomendações sobre a eficácia e o uso seguro das plantas medicinais, considera que a camomila é eficaz no alívio de muitos problemas gastrintestinais, entre eles a indigestão. O Dr. Andrew Weil, professor no Colégio de Medicina da Universidade do Arizona em Tucson e autor do livro Natural Health, Natural Medicine, disse que o melhor remédio caseiro para o estômago descomposto é o chá de camomila ou de hortelã-pimenta. Pessoalmente, prefiro o de hortelã-pimenta, mas são ambos eficazes. Embora seja correcto tomar chá de camomila, provavelmente a tintura é mais eficaz. O chá de camomila tem somente 10% a 15% do óleo essencial carminativo da planta, enquanto que a tintura preparada com álcool de uma graduação de 50% tem muito mais.

Hortelã-pimenta (Mentha piperita)

A maioria dos ervanários, entre os quais me incluo, apreciam muito a capacidade da hortelã-pimenta para aliviar a indigestão. Todavia, em 1990, a Direcção de Alimentação e Fármacos (FDA, segundo a sigla em inglês) disse que a hortelã-pimenta não servia para os problemas estomacais. Isto não quer dizer que a hortelã-pimenta não serve para nada. Francamente, isto significa que esta avaliação da FDA não serviu para nada.

A Comissão E. Alemã aprova o uso do chá de hortelã-pimenta para o tratamento da indigestão. Se tenho de decidir entre o que a FDA disse e o que disse a Comissão E. Alemã, fico-me com os alemães. Eles fizeram investigações e, de facto, sabem do que falam. O chá de hortelã-pimenta funciona bem, mas sendo eu um campónio do Alabama, gosto de coquetéis de uísque com hortelã-pimenta, e sucede que estes funcionam ainda melhor que o chá. O Dr. Varro Tyler, decano e professor emérito de Farmacognose (estudos farmacêuticos dos produtos naturais) na Universidade Purdue, em West Lafayette, Indiana, afirma que muitos dos óleos carminativos da hortelã-pimenta e de outras hortelãs são relativamente insolúveis na água.

Quer isto dizer que o chá de hortelã-pimenta não contém muitos dos ingredientes da planta que aliviam o estômago. De facto, contém uma quantidade suficiente para o tornar eficaz, mas uma tintura de hortelã-pimenta, que se faz com álcool, contém mais. Assim, se por alguma razão o leitor não quer tomar um coquetel de hortelã-pimenta, pode, em alternativa, usar uma tintura. Siga as instruções da embalagem.

Angélica (Angelica archangelica)

De acordo com a Comissão E. Alemã, a raiz da angélica é boa para o tratamento da indigestão, das dores ligeiras de estômago e da falta de apetite. A dose diária recomendada é um chá feito com duas ou três colherzinhas da planta seca por chávena de água a ferver, ou até uma colher de tintura.

Gengibre (Zingiber officinale)

Os benefícios do gengibre para os enjoos provocados pelo movimento e para a náusea estão bem comprovados, pelo que não deve ser uma grande surpresa que a Comissão E. Alemã haja aprovado a ingestão de 2 g de gengibre (aproximadamente uma colherzinha) no chá para a indigestão. O gengibre contém certas substâncias químicas (os gingeróis e os xogaóis) que não só aliviam o estômago mas também ajudam a melhorar a digestão ao aumentar as contracções musculares intestinais que movimentam os alimentos ao longo do intestino.

Manjerona (Origanum onites)

Os ingleses apreciam sanduíches de manjerona para a indigestão e usam o chá de manjerona diluído para aliviar as cólicas nos bebés. A manjerona é uma planta aromática, pelo que tem benefícios para a digestão semelhantes aos da hortelã-pimenta.

Coentros (Coriandrum sativum)

Não é em vão que os coentros ajudam a aliviar a indigestão: o seu óleo essencial é carminativo, anti-séptico bactericida, fungicida (mata os fungos) e também relaxante muscular. Os ervanários tradicionais valorizavam o coentro, especialmente para contrariar as acções das plantas laxantes como o espinheiro-cerval, a cáscara-sagrada, o ruibarbo e o sene (sena), que descompõem o estômago. Na Amazónia, o coentro-silvestre (Eryngium foetidum), que tem quase a mesma composição química, acrescenta-se às porções diárias de feijão, quiçá para aliviar o gás que este pode causar.

Papaia (Carica papaya) e ananás (Ananas comosus)

Estes dois frutos contêm enzimas que decompõem as proteínas. Os naturopatas e os que recomendam os sumos para melhorar a saúde, entre eles o antropólogo e médico Dr. John Heinerman, autor da Heinerman’s Encyclopedia of Fruits, Vegetables and Herbs, sustenta que o sumo da papaia e do ananás é bom para aliviar a indigestão. Se isto está certo, o leitor também deve beneficiar se comer outras frutas que contenham estas enzimas proteolíticas, como, por exemplo, o kiwi ou os figos, após as refeições. Se eu padecesse de indigestão crónica, comeria com mais frequência estas frutas como sobremesa.

Pimentão-de-caiena (Capsicum, várias espécies)

Muitas vezes, os norte-americanos acreditam que as especiarias picantes descompõem o estômago. Mas a maior parte do resto do mundo sabe mais do que isso. porque sabe que as especiarias picantes como o pimentão-de-caiena ajudam na realidade a aliviar o estômago. O pimentão-de-caiena também estimula a digestão.

Ervas carminativas sortidas

Há muitas ervas carminativas. Na minha base de dados tenho mais de quinhentas, incluindo todas as plantas mencionadas neste capítulo. A maioria está apoiada por algumas investigações. Também estão incluídas as seguintes: agrimónia, segurelha, alho, alfavaca, alcaravia, aipo, aipo-silvestre, artemísia, bardana, cardamomo, cebola, cebolinho, cherívia (pastinaca), coentros, cravo-da-índia, cominho, curcuma (açafrão-da-índia), endro, erva-gateira (nêveda-dos-gatos), funcho, hissopo, louro, maçã, marroio, manjerona, mil-em-rama (milefólio, aquileia), noz-moscada, orégão, salsa, cerefólio, pimenta-da-jamaica, poejo, alecrim, salva, chá, tomilho, erva-cidreira e baunilha. Experimente qualquer uma destas plantas para aliviar a indigestão.

Óleos essenciais sortidos

Os aromaterapeutas recomendam frequentemente que se inale umas pequenas quantidades de vários óleos carminativos diferentes para aliviar o estômago descomposto. Entre eles encontram-se os óleos de segurelha, alho, alfavaca, anis, bergamota, canela, cravo-da-índia, coentros, zimbro, estragão, funcho, hissopo, gengibre, alfazema, limão, camomila, hortelã, alecrim, salva e tomilho. Não os ingira, já que alguns deles podem ser mortais, mesmo em pequenas quantidades. Devem utilizar-se apenas externamente.

Fonte: Farmácia Verde, de James A. Duke (adaptado)

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close