Existem centos de plantas medicinais que ajudam um pouco a aliviar essas dorzitas de estômago. Aqui vão umas quantas que eu recomendo.

Camomila (Matricaria recutita )

A Comissão E. Alemã, o grupo de cientistas alemães que faz recomendações sobre a eficácia e o uso seguro das plantas medicinais, considera que a camomila é eficaz no alívio de muitos problemas gastrintestinais, entre eles a indigestão. O Dr. Andrew Weil, professor no Colégio de Medicina da Universidade do Arizona em Tucson e autor do livro Natural Health, Natural Medicine, disse que o melhor remédio caseiro para o estômago descomposto é o chá de camomila ou de hortelã-pimenta. Pessoalmente, prefiro o de hortelã-pimenta, mas são ambos eficazes. Embora seja correcto tomar chá de camomila, provavelmente a tintura é mais eficaz. O chá de camomila tem somente 10% a 15% do óleo essencial carminativo da planta, enquanto que a tintura preparada com álcool de uma graduação de 50% tem muito mais.

Hortelã-pimenta (Mentha piperita)

A maioria dos ervanários, entre os quais me incluo, apreciam muito a capacidade da hortelã-pimenta para aliviar a indigestão. Todavia, em 1990, a Direcção de Alimentação e Fármacos (FDA, segundo a sigla em inglês) disse que a hortelã-pimenta não servia para os problemas estomacais. Isto não quer dizer que a hortelã-pimenta não serve para nada. Francamente, isto significa que esta avaliação da FDA não serviu para nada.

A Comissão E. Alemã aprova o uso do chá de hortelã-pimenta para o tratamento da indigestão. Se tenho de decidir entre o que a FDA disse e o que disse a Comissão E. Alemã, fico-me com os alemães. Eles fizeram investigações e, de facto, sabem do que falam. O chá de hortelã-pimenta funciona bem, mas sendo eu um campónio do Alabama, gosto de coquetéis de uísque com hortelã-pimenta, e sucede que estes funcionam ainda melhor que o chá. O Dr. Varro Tyler, decano e professor emérito de Farmacognose (estudos farmacêuticos dos produtos naturais) na Universidade Purdue, em West Lafayette, Indiana, afirma que muitos dos óleos carminativos da hortelã-pimenta e de outras hortelãs são relativamente insolúveis na água.

Quer isto dizer que o chá de hortelã-pimenta não contém muitos dos ingredientes da planta que aliviam o estômago. De facto, contém uma quantidade suficiente para o tornar eficaz, mas uma tintura de hortelã-pimenta, que se faz com álcool, contém mais. Assim, se por alguma razão o leitor não quer tomar um coquetel de hortelã-pimenta, pode, em alternativa, usar uma tintura. Siga as instruções da embalagem.

Angélica (Angelica archangelica)

De acordo com a Comissão E. Alemã, a raiz da angélica é boa para o tratamento da indigestão, das dores ligeiras de estômago e da falta de apetite. A dose diária recomendada é um chá feito com duas ou três colherzinhas da planta seca por chávena de água a ferver, ou até uma colher de tintura.

Gengibre (Zingiber officinale)

Os benefícios do gengibre para os enjoos provocados pelo movimento e para a náusea estão bem comprovados, pelo que não deve ser uma grande surpresa que a Comissão E. Alemã haja aprovado a ingestão de 2 g de gengibre (aproximadamente uma colherzinha) no chá para a indigestão. O gengibre contém certas substâncias químicas (os gingeróis e os xogaóis) que não só aliviam o estômago mas também ajudam a melhorar a digestão ao aumentar as contracções musculares intestinais que movimentam os alimentos ao longo do intestino.

Manjerona (Origanum onites)

Os ingleses apreciam sanduíches de manjerona para a indigestão e usam o chá de manjerona diluído para aliviar as cólicas nos bebés. A manjerona é uma planta aromática, pelo que tem benefícios para a digestão semelhantes aos da hortelã-pimenta.

Coentros (Coriandrum sativum)

Não é em vão que os coentros ajudam a aliviar a indigestão: o seu óleo essencial é carminativo, anti-séptico bactericida, fungicida (mata os fungos) e também relaxante muscular. Os ervanários tradicionais valorizavam o coentro, especialmente para contrariar as acções das plantas laxantes como o espinheiro-cerval, a cáscara-sagrada, o ruibarbo e o sene (sena), que descompõem o estômago. Na Amazónia, o coentro-silvestre (Eryngium foetidum), que tem quase a mesma composição química, acrescenta-se às porções diárias de feijão, quiçá para aliviar o gás que este pode causar.

Papaia (Carica papaya) e ananás (Ananas comosus)

Estes dois frutos contêm enzimas que decompõem as proteínas. Os naturopatas e os que recomendam os sumos para melhorar a saúde, entre eles o antropólogo e médico Dr. John Heinerman, autor da Heinerman’s Encyclopedia of Fruits, Vegetables and Herbs, sustenta que o sumo da papaia e do ananás é bom para aliviar a indigestão. Se isto está certo, o leitor também deve beneficiar se comer outras frutas que contenham estas enzimas proteolíticas, como, por exemplo, o kiwi ou os figos, após as refeições. Se eu padecesse de indigestão crónica, comeria com mais frequência estas frutas como sobremesa.

Pimentão-de-caiena (Capsicum, várias espécies)

Muitas vezes, os norte-americanos acreditam que as especiarias picantes descompõem o estômago. Mas a maior parte do resto do mundo sabe mais do que isso. porque sabe que as especiarias picantes como o pimentão-de-caiena ajudam na realidade a aliviar o estômago. O pimentão-de-caiena também estimula a digestão.

Ervas carminativas sortidas

Há muitas ervas carminativas. Na minha base de dados tenho mais de quinhentas, incluindo todas as plantas mencionadas neste capítulo. A maioria está apoiada por algumas investigações. Também estão incluídas as seguintes: agrimónia, segurelha, alho, alfavaca, alcaravia, aipo, aipo-silvestre, artemísia, bardana, cardamomo, cebola, cebolinho, cherívia (pastinaca), coentros, cravo-da-índia, cominho, curcuma (açafrão-da-índia), endro, erva-gateira (nêveda-dos-gatos), funcho, hissopo, louro, maçã, marroio, manjerona, mil-em-rama (milefólio, aquileia), noz-moscada, orégão, salsa, cerefólio, pimenta-da-jamaica, poejo, alecrim, salva, chá, tomilho, erva-cidreira e baunilha. Experimente qualquer uma destas plantas para aliviar a indigestão.

Óleos essenciais sortidos

Os aromaterapeutas recomendam frequentemente que se inale umas pequenas quantidades de vários óleos carminativos diferentes para aliviar o estômago descomposto. Entre eles encontram-se os óleos de segurelha, alho, alfavaca, anis, bergamota, canela, cravo-da-índia, coentros, zimbro, estragão, funcho, hissopo, gengibre, alfazema, limão, camomila, hortelã, alecrim, salva e tomilho. Não os ingira, já que alguns deles podem ser mortais, mesmo em pequenas quantidades. Devem utilizar-se apenas externamente.

Fonte: Farmácia Verde, de James A. Duke (adaptado)

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pode também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest