Penso que as mudanças no estilo de vida são muito mais importantes que as plantas medicinais. Existem, contudo, várias plantas medicinais que deve conhecer para poder deter o envelhecimento.

“Ginkgo” (Ginkgo biloba)

Esta é a erva mais fascinante para eliminar as pedras do caminho do envelhecimento. Existem bons estudos de investigação realizados na Europa que mostram que esta planta ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo para o cérebro. Alguns estudos sugerem que o qinkgo ajuda a que as pessoas que sofrem da doença de Alzheimer e de outras formas de demência se tornem mais lúcidas e sociáveis, a que pensem com maior clareza, se sintam melhor e possam lembrar-se mais. Na Europa, muitas pessoas adultas tomam regularmente um extracto normalizado desta planta medicinal para se manter mentalmente “em forma”. A capacidade do ginkgo para aumentar o fluxo sanguíneo para o cérebro demonstrou proporcionar uma quantidade de benefícios para as pessoas que estão a envelhecer. Esta planta melhora a acuidade mental, a memória e a capacidade de concentração; também levanta o ânimo e alivia os zumbidos nos ouvidos, o enjoo e a ansiedade. As árvores do ginkgo crescem enormes e majestosas por todos os Estados Unidos, mas são necessários barris de folhas para produzir um extracto útil que possa durar para alguns dias. A melhor maneira de usar esta erva é comprar um extracto normalizado ou cápsulas numa loja de produtos naturais ou de plantas medicinais. Ainda assim, confesso-lhes que ponho umas quantas folhas nos meus sumos sem experimentar nenhum mau efeito óbvio. O leitor podia experimentar entre 60 mg a 240 mg de extracto normalizado, mas não consuma mais do que esta quantidade. Em grandes quantidades, o ginkgo produz diarreia, irritabilidade e intranquilidade.

Ginseng-americano (Panax quinquefolius) e ginseng-asiático (P. ginseng)

Os chineses e os coreanos consideram o ginseng como se fosse A Fonte da Juventude. Consideram esta planta como um tónico para os idosos porque tonifica a pele e os músculos, ajuda a melhorar o apetite e a digestão e restaura a energia sexual. Enquanto viajava pela China, em 1978, com o propósito de investigar o ginseng, um velho chinês disse-me que não desperdiçasse esta erva com gente jovem. Disse-me que eu deveria reservá-la para quando fosse ancião, e então ela far-me-ia sentir de novo jovem. Agora já estou quase pronto. A casa já está paga e tenho cinco espécies de ginseng a crescer na minha pequena quinta de dois hectares e meio. O ginseng está a ganhar partidários entre os médicos norte-americanos. Um dos que o recomendam encarecidamente é o Dr. Andrew Weil, professor do Colégio de Medicina da Universidade do Arizona em Tucson, que promove o uso das plantas medicinais e é autor do livro Natural Health, Natural Medicine. O ginseng é recomendado frequentemente para ajudar a fortalecer as pessoas que se encontram debilitadas pela idade avançada ou por alguma enfermidade crónica.

Equinácea (Echinacea, várias espécies)

Esta planta é originária das grandes planuras dos Estados Unidos, e é o melhor reforçador do sistema imunitário dos Estados Unidos. Fiquei muito impressionado com a investigação levada a cabo pelos alemães, que mostra que a sua acção antimicrobiana ajuda a prevenir e tratar os resfriados (catarros), a gripe e todo o tipo de infecções por fungos, as virais e as bacteriológicas.

Onagra (Oenothera biennis)

As sementes desta planta encantadora que floresce de noite contêm um óleo rico em ácido gamalinolénico (GLA, segundo a sigla em inglês), uma substância que, nos últimos anos, despertou um grande interesse entre os investigadores. Parece que o GLA ajuda a aliviar várias afecções: a síndroma pré-menstrual (PMS segundo a sigla em inglês); o eczema, uma afecção crónica da pele que produz manchas vermelhas e escamosas; a polineuropatia, um tipo de lesão dos nervos associada à diabetes; e também, quiçá, o alcoolismo e a obesidade. Também se mostra prometedor contra as principais causas de morte nos Estados Unidos: a doença de coração e o cancro.

Alho (Allium sativum)

Para além de ser uma planta com potentes efeitos antibióticos e antivirais, o alho reduz os altos níveis de colesterol e diminui a hipertensão. Também li um fascinante estudo japonês que sugere que o alho retarda o envelhecimento fisiológico e a perda de memória relacionada com a velhice nos animais de laboratório. Não aposto tudo num único estudo – especialmente quando se trata de um estudo em animais – mas posto que estou a recomendar o alho, pensei que seria bom mencionar isto.

Hortelã-brava-indiana (Centella asiatica)

Esta planta usa-se largamente na Índia para melhorar a memória e proporcionar longevidade. Se o leitor desejar utilizá-la, acrescente uma folha fresca ou duas a mais ou menos uma colherzinha da erva seca aos chás que costuma beber. Também pode acrescentar umas quantas folhas frescas às saladas.

Cardo-do-leite/Cardo-de-santa-maria (Silybum marianum)

É o meu protector do fígado favorito. O fígado processa os fármacos e as toxinas provenientes do meio ambiente, de maneira que se encontra sob assalto constante no mundo moderno. Qualquer pessoa que consuma álcool, tome drogas (legais ou ilícitas) ou que se esteja em contacto com qualquer espécie de contaminantes poderá beneficiar com esta planta.

Hortelã-pimenta (Mentha piperita)

Devemos dar graças a Deus pela capacidade que concedeu à hortelã-pimenta para aliviar a indigestão e a tensão intestinal. Esta erva também contém antioxidantes que ajudam a prevenir o cancro, as doenças do coração e outras enfermidades associadas ao envelhecimento.

Beldroega (Portulaca oleracea)

Excepcionalmente rica em antioxidantes, a beldroega é a primeira planta que aparece na minha base de dados quando procuro combinações das vitaminas A, C e E. Esta planta também é rica no composto chamado glutatião, o qual é, além de antioxidante poderoso, um estimulante do sistema imunitário. Falando do glutatião, outras verduras ricas neste composto antienvelhecimento incluem os espargos, os brócolos, o repolho, a couve-flor, a batata e o tomate. As frutas que contêm este antioxidante incluem o abacate, a toranja, a laranja, o pêssego e a melancia.

Tomilho (Thymus vulgaris)

O tomilho é outra boa fonte de substâncias químicas benéficas que funcionam contra o envelhecimento. O leitor pode beneficiar, inclusive, se se banhar nele. Eu acrescentaria regularmente um punhado da planta seca aos banhos quentes se fosse do tipo de pessoas que preferem o banho de imersão ao duche. O óleo aromático de tomilho ajuda a aliviar-me os espasmos das costas.

Salgueiro (Salix, várias espécies)

A casca desta árvore foi a fonte original da aspirina. Com ela pode preparar-se um chá que alivia a dor de cabeça, a dor de dentes, a artrite e outras afecções dolorosas. Também ajuda a prevenir ataques cardíacos, o derrame cerebral e o cancro colo-rectal.

Cavalinha (Equisetum arvense)

Ao envelhecer, a nossa actividade hormonal e os níveis de silício nas artérias e na pele reduzem-se. O silício também desempenha um papel na reparação dos ossos, das cartilagens e dos tecidos conjuntivos. A cavalinha, uma boa fonte de silício, é um antigo remédio tradicional para as fracturas, para os ligamentos com rupturas e lesões relacionadas. Esta erva intriga-me, mas dado que não estou convencido de que tenha todo o valor antienvelhecimento que algumas fontes lhe atribuem, só raramente a tomo. Se o leitor deseja experimentá-la, pode fazê-lo depois de consultar um profissional holístico.

Fonte: Farmácia Verde, de James A. Duke (adaptado)

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close