As terapias médicas convencionais não ajudam muito no caso de degenerescência macular, o que faz que as propostas nutricionais sejam mais atraentes. Há bastantes alimentos e plantas medicinais que possivelmente podem ajudar.

Mirtilo/Arando (Vaccinium myrtillus)

Esta fruta e as suas variedades, como o arando-azul, o arando-amargo, a centáurea-azul, a amora, a uva, a ameixa e a cereja-silvestre, utilizaram-se tradicionalmente no tratamento dos problemas de acuidade visual. E as investigações científicas confirmaram a validade deste ponto de vista tradicional.

Todas as frutas contêm compostos conhecidos por antocianósidos que são antioxidantes potentes. Num estudo realizado, o tratamento diário com 400 mg de mirtilo e 20 mg do famoso antioxidante betacaroteno, melhorou a visão nocturna de muitos dos participantes e aumentou-lhes os campos visuais. Os antocianósidos do mirtilo também fortalecem os capilares da retina, o que ajuda a retardar a degenerescência macular. O Dr. Daniel Mowrey, farmacologista de plantas medicinais e autor de The Scientific Validation of Herbal Medicine e Herbal Tonic Therapies, recomenda um chá de mirtilo, de gilbardeira, de cravagem e de gengibre para prevenir e tratar vários tipos de degenerescência macular. E eu estou de acordo com ele. Sugiro-lhe que utilize muitos mirtilos e que acrescente as outras ervas de acordo com o que tiver à mão e conforme o gosto. Deixe as ervas em infusão em água a ferver durante quinze minutos. Pode tomar uma chávena deste «Chá da Visão» quatro vezes ao dia.

Couve galega (Brassica oleracea), espinafre (Spinacia oleracea) e outros vegetais.

Num estudo realizado pela oftalmologista Dr.ª Johanna Seddon do Hospital Oftalmológico de Massachusetts, fez-se um inquérito a mais de novecentas pessoas, das quais trezentas e vinte e seis padeciam de degenerescência macular. A Dr.ª Seddon chegou à conclusão de que comer vegetais e frutos ricos em antioxidantes pelo menos cinco vezes por semana reduzia para metade os riscos de se sofrer de degenerescência macular. A couve galega, um dos ingredientes do saboroso caldo verde, e o espinafre, o alimento preferido de Popeye, sobressaem no estudo realizado pela Dr.ª Seddon. Estes vegetais contêm luteína, um composto benéfico. Os vegetais que possuem estes mesmos compostos que talvez possam fornecer protecção à visão são, entre outros, o bock choy, os brócolos, a couve-de-bruxelas, o repolho, a couve-frisada, a couve-nabo, a rama da mostardeira, o rábano, a rama do nabo e o agrião. O estudo da Dr.ª Seddon também descobriu que tomar suplementos de vitamina C e E não ajudou muito a prevenir a degenerescência macular, embora ambos sejam antioxidantes poderosos. Estes resultados reforçam o meu argumento constante de que lhe convém mais comer alimentos integrais e ricos em nutrientes e plantas medicinais do que os suplementos isolados que apenas fornecem um só nutriente. Se eu tivesse degenerescência macular ou qualquer um dos factores de risco para vir a sofrer dela, jantaria regularmente os meus “Vegetais para a Visão”, uma mistura de todos os vegetais crucíferos que tivesse à mão.

 “Ginkgo” (Ginkgo biloba)

Os extractos de ginkgo ajudam a manter uma circulação sanguínea adequada para a retina. Num estudo realizado durante seis meses, as pessoas que receberam um extracto normalizado de ginkgo de 80 mg duas vezes por dia melhoraram significativamente a visão ao longe. Outro estudo indica que o extracto de ginkgo pode até inverter os danos da retina. Isto sugere-me que o leitor deveria experimentar uma mistura de ginkgo com chá de hortelãs antioxidante. Na realidade, as folhas do ginkgo contêm muito pouca quantidade dos compostos activos. A melhor forma de obter os benefícios completos desta planta medicinal é utilizar um extracto normalizado – um preparado de 50:1, o que significa que se processaram 22kg de folhas para obter 0,45 kg de extracto. (De qualquer modo, por vezes acrescento algumas folhas de ginkgo aos meus sumos de fruta fresca.) A dose de extracto normalizado recomendada é de 150 mg-300 mg diários. (Em quantidades superiores a 240 mg, o ginkgo pode causar diarreia, irritabilidade e insónia. Se experimentar alguns destes sintomas, ingira uma dose menor.)

Amendoim/Alcagoita (Arachis hypogaea)

Uma boa quantidade de investigações demonstrou que a soja ajuda a prevenir a degenerescência da retina que acontece às pessoas com diabetes, uma afecção conhecida pelo nome de retinopatia diabética. Parece que o constituinte activo da soja é a genisteína. Se a genisteína ajuda a prevenir a retinopatia diabética, talvez possa ajudar a prevenir a degenerescência macular. Há muitas mais leguminosas que contêm abundantes quantidades de genisteína. Do ponto de vista do sabor, opto pelos amendoins, que também contêm mais quantidade de genisteína que a soja. De facto, desfruto dos amendoins todos os dias. Os amendoins espanhóis também têm muitos compostos antioxidantes conhecidos como procianidinas.

Cravo-da-índia (Syzygium aromaticum)

O óleo de cravo é um poderoso antioxidante. Os estudos demonstram que este óleo ajuda a prevenir a degenerescência na retina de uma substância chamada ácido docosahexanóico. Esta acção ajuda a conservar a visão na velhice. Sugeriria que acrescentasse uma ou duas gotas de óleo aos chás antioxidantes de hortelã e tomasse até quatro chávenas por dia.

Espinheiro-da-china/Alcatira (Lycium chinese)

Este é o tratamento tradicional chinês para a vista turva e outros problemas de visão. Num estudo, os participantes consumiram cerca de 50 g diários de espinheiro-da-china. A sua visão melhorou significativamente. O espinheiro-da-china é rico em antioxidantes e em pigmentos benéficos das plantas conhecidos como carotenóides.

Fonte: Farmácia Verde, de James A. Duke (adaptado)

Composto e postado por Ângela Barnabé

 

Pode também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest