Urze (Calluna vulgaris L.) – Anti-séptico urinário e alcatifa vegetal

Quem não terá ainda reparado nessa alcatifa purpúrea que cobre os solos de pradarias e terrenos incultos no fim do Verão? É a urze, tão apreciada pelas abelhas para a elaboração do seu mel, e também pelos amantes dos remédios naturais, graças às suas propriedades medicinais.


Propriedades e Indicações:

Toda a planta contém uma substância conhecida como arbutina, que ao ser hidrolisada pelas bactérias intestinais se transforma em hidroquinona, um potente anti-séptico urinário. Também possui tanino, que lhe confere as suas propriedades adstringentes, assim como flavonóides de acção diurética.

O seu uso é recomendado nos casos de:

– Doenças urinárias: infecção, urina turva ou malcheirosa, ardência ao urinar, cistite e pielonefrite (1). A sua acção anti-séptica sobre a urina permite que esta recupere o seu aspecto normal em poucos dias.

-Diarreias, em virtude do seu efeito adstringente (1).


Preparação e Emprego

Uso interno

1-Decocção com 50 g de raminhos ou sumidades floridas, por cada litro de água. Ferver durante 10 minutos. Adoçar com mel e tomar 3 ou 4 chávenas por dia, depois das refeições.


Outros nomes: torga-ordinária, mongariça, magoriça, quebra-panelas, queiró, carrasca, carrasquinha, urze-do-monte, barba-do-mato. Esp.: brezo, brezo común, brecina. Fr.: bruyàre, callune. Ing.: heather.

Habitat: Costuma formar extensos brejos em terras estéreis siliciosas da Europa e também de parte da América do Norte.

Descrição: Pequeno arbusto de 20 a 50 cm de altura, da família das Eriáceas, cujas folhas são pequenas, opostas e muito numerosas. As flores nascem ao longo do caule, e a sua cor varia entre o rosa, o vermelho púrpura e o violeta.

Partes utilizadas: as sumidades floridas.


Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger