Tramazeira

Tramazeira (Sorbus aucuparia L.) – Adstringente e rica em vitamina C

A tramazeira , que é uma sorveira brava, não forma arvoredo, mas encontra-se isoladamente entre outras árvores de montanha. Faz-Se notar Pelos seus vistosos frutos que são uma delícia para os pássaros. Em algumas cidades é plantada para ornamentação. É uma árvore elegante e longeva. Vive mais de 100 anos.

Propriedades e Indicações:

Os frutos (sorvas) contém diversos ácidos orgânicos (sórbico, cítrico e succínico), açúcares, pectina, tanino e grandes quantidades de vitamina C (até 80 mg por 100 g).

Nos países germânicos atribuem-se-lhe numerosas propriedades, embora as que realmente se comprovaram sejam apenas as seguintes:

Adstringente: Devido ao seu conteúdo em tanino, dá bons resultados no tratamento das diarreias e colites, tanto agudas como crónicas (1).  Esta acção adstringente é parcialmente compensada pelo conteúdo em pectina dos seus frutos, que exerce um suave efeito laxante. O resultado desta acção combinada é um efeito regulador e normalizador do trânsito intestinal.

Antiescorbútico e tonificante: Pelo seu conteúdo em vitamina C e ácidos orgânicos, respectivamente. Recomenda-se o seu uso em caso de carência de vitamina C, doenças febris, gripes, catarros, esgotamento, e em pacientes convalescentes ou debilitados (1).

Diurético suave e emenagogo: Facilita a menstruação (1).

Preparação e Emprego

Uso interno

1-As sorvas são comestíveis apenas quando estão bem maduras, no Outono, o que se reconhece porque se tomam mais escuras e moles. Se forem comidas antes de amadurecerem completamente, deixam um forte sabor áspero na boca e tomam-se irritantes. Um punhado de sorvas por dia já exerce ação terapêutica.

Podem-se deixar secar, ou então pode-se preparar com elas um puré ou uma compota, depois de cozidas. A dose normal de sorvas é de 3 a 5 colheradas, 3 vezes ao dia.

Outros nomes: sorveira, sorveira-dos-passarinhos, cornogodinho, escancerejo. Brasil: sorveira-brava. Esp.: serbal silvestre, serbal de cazadores, fresno silvestre, manzano falso, acafresna, amargoso, margojo, azarolo borde, capudio, cérvellon, sevillano, sorbito. Fr.: sorbier [des oiseleurs]. Ing.: rowan [tree], mountain ash.

Habitat: Disperso em regiões montanhosas de clima temperado de toda a Europa. Em Portugal encontra-se em Trás-os-Montes e nas Beiras interiores.

Descrição: Árvore ou arbusto da família das Rosáceas, que atinge até 6m de altura. A casca é lisa e cinzenta, e as flores pequenas e brancas. Os frutos são umas bagas alaranjadas ou vermelhas, que pendem em cachos.

Partes utilizadas: os frutos (sorvas) cozidos ou secos.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

 

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close