Serenoa (Serenoa repens Bartram) – Detém o crescimento da próstata

Os frutos desta pequena  palmeira americana são umas tamarazinhas que se comem desde tempos muito remotos na Florida, Geórgia, Luisiana e outros estados do Sudeste da América do Norte.

Parece que os antigos povoadores indígenas já conheciam as suas propriedades medicinais, e que até as utilizavam como afrodisíaco. Recentemente descobriu-se que têm princípios activos muito interessantes, e actualmente entram na composição de vários preparados farmacêuticos.

Propriedades e Indicações:

O extracto lipídico que se obtém dos frutos, após dissolução num meio gordo, contém diversos fitosteróis, especialmente o beta-sitosterol; um álcool triterpénico (ciclartenol); e álcoois gordos alifáticos de alto peso molecular; todos eles de acção anti-inflamatória sobre a próstata. O seu mecanismo de ação de tipo hormonal impede a acção proliferativa dos androgénios sobre o tecido prostático.

Próstata: O uso da serenoa, ou sabal, torna-se muito útil em caso de hipertrofia ou de adenoma da próstata (1,2,3). Detém o crescimento da glândula e reduz notavelmente as doenças urinárias próprias do síndroma prostático: disúria (dificuldade de urinar), polaquiúria (necessidade de urinar muitas vezes) e tenesmo vesical (sensação permanente de vontade de urinar). Também é indicado no caso de prostatites, tanto agudas como crónicas.

Diurético: Além das suas propriedades antiprostáticas, esta planta favorece de forma suave a diurese. É ligeiramente peitoral (1,2).

Preparação e Emprego

1-Frutos frescos maduros: Podem-se comer 50-100 gr de frutos por dia.

2-Frutos cozidos: 50-100 gr diários.

3-Extractos que fazem parte da composição de vários preparados farmacêuticos.

Sinonímia científica: Sabal serrulata Schult.

Outros nomes: sabal. Esp.: sabal, palamerita, palmito. Fr.: serenoa. Ing.: shrub palmetto, saw palmetto.

Habitat: Dunas arenosas e regiões costeiras do Sudeste dos Estados Unidos, principalmente na Flórida. Também se encontra em algumas regiões da América Central.

Descrição: Palmeira de uns 3 m de altura, da família das Palmáceas, com flores cor de marfim. Os frutos são drupas com cerca de 2 cm de comprimento, que quando amadurecem adquirem uma cor escura, com a pele enrugada.  

Partes utilizadas: os frutos maduros.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close