Mostarda-negra

Mostarda-negra (Brassica nigra L.) –  A planta rubefaciente por excelência

Os diminutos grãos ou sementes de mostarda, que à primeira vista mal se vêem, constituem um bom exemplo do poder das coisas pequenas quando permitimos que se desenvolvam.

Propriedades e Indicações:

Toda a planta contém um glicósido (sinigrina) que, por acção da enzima mironase, se transforma num óleo essencial sulfurado de forte acção revulsiva. As sementes contêm ainda mucilagens, de acção emoliente (suavizante), que compensam a acção revulsiva. A farinha de mostarda usa-se sobretudo por via externa. Como revulsivo, actua atraindo o sangue para a pele, descongestionando assim os tecidos e órgãos internos. Aplicada em cataplasmas, torna-se muito eficaz em caso de reumatismo, ciática, nevralgia, congestão pulmonar e bronquite aguda (1).

Os banhos de pés com farinha de mostarda são um remédio usado desde tempos muito antigos, com as seguintes duas principais indicações:

Dores de cabeça: Aliviam a dor de cabeça, pois atraindo o sangue para os pés descongestionam a cabeça. Recomendam-se especialmente em caso de cefaleia causada por infecção vírica das vias respiratórias superiores (catarro nasal, sinusite, gripe) ou por hipertensão arterial (2)l.

Hipertensão arterial: A mostarda provoca uma vasodilatação periférica (dilatação das pequenas artérias dos membros), o que faz descer a pressão arterial (2).

 

Precauções

Por via digestiva, a mostarda é um condimento irritante, do qual é melhor prescindir. Devem abster-se completamente dela as pessoas que sofram de dispepsia ou de úlcera gastroduodenal.

Preparação e emprego

Uso externo

1- Cataplasmas: A farinha de mostarda aplica-se em cataplasmas quentes, misturando-a com a de linhaça para se tornar menos irritante. Estas cataplasmas aplicam-se uma ou duas vezes por dia, durante 10-15 minutos (mais tempo pode provocar empolas). As cataplasmas de mostarda chamam-se sinapismos (de sinapis, mostarda em grego: ver um dos seus nomes científicos).

2- Banhos de pés: Dissolvem-se 1 ou 2 colheradas de farinha de mostarda em 2 ou 3 litros de água quente. Tomam-se até dois banhos por dia, de 5 a 10 minutos de duração cada um.

Sinonímia científica: Brassica juncea Sickenb., Sinapis nigra L.

Outros nomes: mostardeira, mostarda, mostarda-ordinária, mostarda-preta. Esp.: mostaza, mostaza negra, ajenabo, alezna, jebem, lágina, loparda, lusarda. Fr.: moutarde [noire]. lng.: [black] mustard.

 Habitat: Cresce em estado silvestre nos terrenos baldios e incultos de toda a Europa. Naturalizada na América.

Descrição: Planta anual de 0,2 a 1 m de altura, da família das Crucíferas. As flores são amarelas e crescem em cachos terminais. As sementes são arredondadas, de 1 mm de diâmetro.

Partes utilizadas: as sementes.

Fonte: A Saúde pelas Plantas Medicinais, Vol.2, de Jorge D. Pamplona Roger

Composto e postado por Ângela Barnabé

Pode também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest